"Onde está Peng Shuai?". Mundo do ténis pede investigação a misterioso desaparecimento

Chinesa está desaparecida há dez dias. Acusou um importante político de a agredir sexualmente.

A vencedora de dezoito Grand Slam, Chris Evert, juntou-se às vozes do mundo do ténis preocupadas com a segurança e o paradeiro da tenista chinesa, Peng Shuai, desaparecida há 10 dias depois de acusar o antigo vice-presidente chinês Zhang Gaoli de assédio e agressão sexual.

Sob a hashtag #WhereIsPengShuai, a comunidade do ténis mostrou preocupação pelo desaparecimento da tenista de 35 anos, que foi campeã de pares em Wimbledon em 2013 e chegou a ser número 1 mundial nessa vertente. "Sim, essas acusações são muito perturbadoras. Eu conheço Peng desde que ela tinha 14 anos. Todos nós devemos preocupar-nos, isso é sério. Onde está ela? Ela está segura? Qualquer informação seria apreciada", tuitou Evert no domingo.

A hashtag também foi usada no sábado pela tenista francesa Alize Cornet, que garantiu que a comunidade do ténis não vai ficar calada. Também Liam Broady escreveu: "Não acredito que isso esteja acontecendo no século 21."

Também a própria WTA, associação que gere o circuito feminino de ténis, pediu este domingo "uma investigação sem censura".

"Os recentes eventos na China relacionados com Peng Shuai, são de grande preocupação", disse o presidente da WTA, Steve Simon. "Esperamos que esta questão seja tratada de forma adequada, o que significa que as alegações devem ser investigadas de forma completa, justa, transparente e sem censura."

As acusações de Peng foram feitas na rede social Weibo, mas não demoraram a ser removidas da rede. A 4 de novembro, os censores online da China apagaram as alegações de Peng, onde acusa Zhang Gaoli de a agredir sexualmente, naquela que foi a primeira vez que o movimento #MeToo alcançou os mais altos escalões do Partido Comunista Chinês. Segundo a tenista, o antigo dirigente e um dos mais próximos de Li Keqiang, hoje com cerca de 70 anos, a "forçou" a fazer sexo e que a relação abusiva durou vários anos, , até que, recentemente, o político decidiu parar o contacto com ela.

Na longa mensagem, Peng afirmava que estava "muito assustada", disse não ter provas do que dizia, mas acrescentou que a esposa de Zhang sabia: "Mesmo que não seja mais do que atirar um ovo contra uma parede, eu explicarei os factos sobre o que aconteceu." Mas não o fez. Está desaparecida desde então. Voluntária ou involuntariamente é a questão.

A rapidez com que as acusações foram apagadas não deu margem para capturas de ecrã, mas ainda foi vista por mais de 100 mil pessoas, segundo dados do Weibo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG