O estudioso low profile vai levar o Canal Panda até Wolverhampton

Bruno Lage assinou um contrato de três épocas. Estava sem treinar há um ano e regressa agora a Inglaterra como técnico principal. É o 6.º português a treinar na Premier League.

Bruno Lage chega à Premier League aos 45 anos e com um título português no curto currículo como treinador principal. Há muito que o banco do Wolverhampton estava reservado para o técnico que deixou o Benfica em 2020, antes da chegada de Jorge Jesus. Lage assinou pelo emblema inglês até junho de 2024, exatamente a duração da ligação ao clube da Luz , que poupou assim seis milhões de euros.

O técnico entra assim no restrito lote de seis portugueses que já orientaram equipas daquele que é considerado o melhor campeonato de futebol do mundo, depois de José Mourinho, André Villas-Boas, Marco Silva, Carlos Carvalhal e Nuno Espírito Santo, a quem vai suceder. E será acompanhado pela equipa técnica que tinha na Luz.

Pegar nos wolves depois do bom trabalho de Nuno Espírito Santo não assusta o setubalense, nem lhe retira a ambição de fazer "grandes coisas". Regressar ao futebol inglês e competir na Premier League "era o passo que queria dar na carreira, agora a solo, depois de ter integrado a equipa técnica de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea como adjunto.

Depois de mais de uma época sem treinar, após ter deixado o Benfica na fase final de 2019-20, Bruno Lage regressa ao ativo como treinador do Wolverhampton, sucedendo ao compatriota Nuno Espírito Santo.

Segundo o novo treinador dos wolves, o clube "tem feito um percurso fantástico durante os últimos quatro anos", e poder competir na Premier League é, sem dúvida, um grande passo na sua carreira, que o deixa "orgulhoso e com uma motivação enorme".

Na apresentação deixou elogios ao antecessor: "O Nuno [Espírito Santo] fez ao longo dos últimos quatro anos um trabalho fantástico e agora cabe-nos a nós a responsabilidade de prosseguir esse trabalho e continuar a trazer sucesso para este grande clube."

Bruno Lage teve no Benfica a sua primeira experiência como treinador principal no primeiro escalão, levando as águias à conquista da I Liga portuguesa em 2018-19 e da Supertaça Cândido de Oliveira em 2019. No Wolverhampton vai treinar vários jogadores portugueses, depois de, em 2020-21, terem estado no plantel Rui Patrício, Nélson Semedo, Rúben Neves, Vitinha, Vinagre, João Moutinho, Pedro Neto, Daniel Podence e Fábio Silva.

Estudioso e low profile

A apetência pelo treino começou nas camadas jovens do Vitória de Setúbal, no final da década de 1990, quando o jovem Bruno Miguel Silva do Nascimento - que adotou o apelido Lage em homenagem ao pai, Fernando Lage, um ex-jogador que fez carreira em equipas do distrito de Setúbal - teve o primeiro contacto com o treino de campo, como adjunto na equipa de juvenis.

Era um jovem estudioso, que tinha tirado o curso de Educação Física e precisava de uma experiência para começar no treino. Seguiu- se o GDR 1.º Mario, o Fazendense de Almeirim, o Comércio e Indústria, o Estrela de Vendas Novas e o Sintrense, até chegar às camadas jovens do Benfica em 2004, pela mão do seu mentor Jaime Graça.

Treinou todos os escalões, das escolas aos juniores, passando por iniciados e juvenis, tendo conquistado dois campeonatos nacionais e dois distritais. Bernardo Silva, Gonçalo Guedes, Ederson, André Gomes, João Cancelo, Rony Lopes, Ivan Cavaleiro e Hélder Costa foram alguns dos jogadores que lhe passaram pelas mãos.

Saiu da Luz em 2012 para ir para o Al Ahli, do Dubai, com o espanhol Quique Flores, que o tinha conhecido na passagem pela Luz. Foi então que o seu caminho se cruzou com Carlos Carvalhal, que iria treinar o clube árabe na época seguinte. Com o atual técnico do Sp. Braga conheceu a aventura do futebol inglês e da Premier League.

Mas com a saída do Swansea deu-se o regresso ao Seixal... sendo promovido a treinador principal do Benfica com o despedimento de Rui Vitória em 2018. Em seis meses fez o Benfica campeão, mas sairia passado um ano e meio devido aos maus resultados.

Na Luz deixou a imagem de tranquilo, ponderado e low profile desde que os holofotes mediáticos se viraram para ele. Não que goste dessa exposição, mas prefere isso a esconder-se, nem que seja a mandar alguns recados aos jovens, para estudarem e não deitarem lixo para o chão, seja a dar o Canal Panda como referência da tenra idade de alguns dos atletas que promove ou do tempo que se alheava do futebol para ver os desenhos animados com o filho.

Jorge Mendes e Fosun

O Wolverhampton é um dos mais emblemáticos clubes ingleses. Criado em 1877, fez parte da fundação do primeiro campeonato inglês e da primeira grande competição europeia. Tem três títulos, conquistados antes do formato da Premier League, e oito taças.

Uma história rica e cheia de altos e baixos, com uma forte ligação a Portugal recente. Em 2015 foi adquirido pela Fosun International, empresa de investimento chinesa liderada por Guo Guangchang, com forte ligação à Gestifute e a Jorge Mendes, empresário de Bruno Lage e da grande maioria dos jogadores portugueses do clube.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG