O comentador Mourinho que é tão ou mais requisitado do que o treinador

O treinador vai comentar o Euro 2020 para o tabloide The Sun, a rádio talkSPORTS, o diário The Times e o semanário The Sunday Times. Em 2008 comentou o Europeu para o DN.

Habituámo-nos a vê-lo viver o futebol intensamente, de pé junto ao relvado ou sentado no banco, sempre de olho na bola, mas José Mourinho comentador é tão ou mais requisitado que o José Mourinho treinador.

Em 21 anos de carreira, o agora desempregado Special One representou oito clubes e foi requisitado por mais de uma dezena de vezes para comentar jogos ou grandes competições de futebol. Ontem, aceitou o desafio do grupo de media britânico News UK, que detém o tabloide inglês The Sun, a rádio talkSPORTS, o jornal diário The Times e o semanário The Sunday Times, para comentar o Euro 2020. Publicações que terão conteúdos de Mourinho de 11 de junho a 11 de julho.

"Estou muito ansioso, porque acredito que será algo novo e incrível. Sou totalmente absorvido pelo futebol, adoro trabalhar. Não trabalho há uma semana e já sinto falta", admitiu o treinador, despedido do Tottenham há 11 dias, no vídeo de promoção da parceria.

A colaboração, que começará com uma entrevista exclusiva na The Times Magazine, prevê a análise pré e pós-jogo, com especial atenção para os jogos da seleção inglesa. O técnico irá ainda participar no podcast The Game Euros do The Times e será anfitrião de um evento especial para os leitores do Times+, entre outras aparições.

A experiência de opinador vem de longe. Em 2000, quando o mundo ainda nem sonhava com o Special One dos relvados, escreveu três artigos de opinião no site MaisFutebol. Já em 2004 e depois de ser campeão europeu pelo FC Porto aceitou comentar o Portugal-Espanha do europeu português para a TVI.

Depois mudou-se para o Chelsea e embarcou numa experiência como comentador da SIC, num espaço do Jornal da Noite, que era transmitido de Londres e bateu recordes de audiência.

Três anos depois aceitou comentar a Taça de África das Nações para a Eurosport e escrever para o Diário de Notícias sobre os jogos de Portugal no Campeonato da Europa. Ronaldo e companhia chegaram aos quartos de final do Euro 2008, mas o contrato entretanto assinado com o Inter Milão levou-o a escrever apenas dois artigos, um sobre o problema das bolas paradas e o outro de apoio ao selecionador Luiz Felipe Scolari.

Nesse ano voltou a colaborar com a TVI, mas só por um jogo (Portugal-Rep. Checa).

Seguiu-se uma experiência na internet. O Special One opinou sobre o Mundial 2014 para o Yahoo! Brasil. E prometeu "comentário único", "análise apaixonada" e divertir-se "bastante" enquanto o fazia e recebia 620 mil euros.

De repente, Mourinho, que tantas vezes colocou os comentadores sem saber o que dizer, estava do outro lado do microfone. Um dos comentários no Mundial 2014 foi sobre a seleção nacional, antes do jogo com os EUA: "Não entendo como é que Portugal tem uma sessão de treino em frente a 10 mil pessoas. Por causa disso toda a gente se apercebeu que o Ronaldo colocou gelo no joelho..."

José Mourinho repetiu a experiência no Mundial 2018. Assinou pela televisão Russia Today a troco de 1,9 milhões de euros por quatro dias de comentários.

Já em 2019, e depois de deixar o Manchester United, aceitou comentar a Premier League para a Sky Sports. Além disso, comentou dois jogos da Taça Sul-Americana (Santos-River Plate e Corinthians-Racing) para a plataforma DAZN a troco de 800 mil euros e analisou as incidências do Real Madrid-Barcelona e alguns jogos da Taça da Ásia para a televisão do Qatar, Bein Sports, por 67 500 euros cada.

Segue-se o Euro 2020 para o grupo britânico.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG