Meias-finais e final do Euro podem ser transferidas de Londres para Budapeste

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, frisou esta sexta-feira que sua prioridade é manter o "país protegido da Covid". Uma fonte confirmou à AFP que a UEFA mantém em aberto a opção de transferir os jogos decisivos de Wembley para a capital húngara

Com os jogos finais do Campeonato da Europa de futebol agendados para Londres, o jornal The Times noticiava esta sexta-feira que Boris Johnson estava a considerar isentar cerca de 2.500 funcionários da UEFA, patrocinadores e estações televisivas das medidas de quarentena em vigor na Grã-Bretanha devido aos protocolos de combate ao coronavírus.

Mas algumas fontes governamentais temem que isso possa despertar descontentamento entre os britânicos, cuja capacidade de viajar nas férias foi restringida por regras que impõem um período de auto-isolamento ou quarentena no regresso ao país.

Esta sexta-feira, o primeiro-ministro britânico adotou um tom cauteloso sobre o assunto e garantiu que iria dar sempre prioridade às condições sanitárias no Reino Unido. "Faremos o que for necessário para manter o país protegido de Covid", disse.

"Obviamente, essa será a nossa prioridade. Vamos conversar com a UEFA sobre o que eles querem e ver se podemos fazer algumas adaptações sensatas, mas a prioridade tem de ser a saúde pública", reforçou.

Várias informações têm surgido nos media britânicos a dar conta de que alguns ministros de Boris estão preocupados com o fato de, se as regras não forem relaxadas, a UEFA poder transferir as semifinais e a final do Euro para Budapeste, onde não há restrições de fronteira para viagens dentro da zona Schengen. A Hungria também está preparada para receber os jogos com os estádios completamente lotados, como se viu no recente Portugal-Hungria, enquanto Wembley apenas poderá receber metade da lotação, ao abrigo das regras decretadas pelo governo britânico.

Uma fonte próxima aos organizadores, que pediu para não ser identificada, disse à AFP que a opção de transferir as semifinais e a final para Budapeste "está a ser considerada". E a UEFA afirmou esta sexta-feira em comunicado: "Há sempre um plano de contingência, mas estamos confiantes de que a última semana terá lugar em Londres."

"Estamos a discutir com as autoridades locais para tentar permitir que os adeptos das equipas participantes assistam aos jogos, usando um teste rigoroso e um conceito de bolha que significaria que a sua estadia no Reino Unido seria inferior a 24 horas e seus movimentos seriam restritos apenas para transporte e locais aprovados ", continuou o organismo dirigente do futebol europeu.

Um plano semelhante foi usado no Porto para os adeptos do Chelsea e do Manchester City que viajaram especificamente para a final da Liga dos Campeões no mês passado - tendo havido vários milhares, no entanto, que viajaram para o Porto fora desse circuito oficial.

Na altura, a final da Liga dos Campeões foi transferida de Istambul para a cidade portuguesa, porque os adeptos ingleses teriam que ficar de quarentena ao voltar da Turquia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG