Itália é o maior perigo da seleção nacional no playoff rumo ao Qatar

Portugal conhece os adversários no sorteio do próximo dia 26. O primeiro jogo será em casa com um não cabeças-de-série, se for apurado pode defrontar os campeões europeus.

Está completo o lote de seleções que vão estar no playoff de qualificação da UEFA para o Mundial 2022. E bem se pode dizer que a Itália é o maior perigo da seleção nacional, que no domingo, após perder com a Sérvia no Estádio da Luz, falhou o acesso direto à fase final do torneio que se realiza de 21 de novembro a 18 de dezembro do próximo ano no Qatar.

Curiosamente, os dois últimos campeões da Europa colocaram-se numa situação complicada na última jornada da fase de apuramento e até pode dar-se o caso de Portugal e Itália discutirem uma das três vagas para o Mundial que estão em aberto por via do play-off.

O sorteio, que se realiza no dia 26 de novembro na cidade suíça de Zurique, vai definir o caminho que a seleção de Fernando Santos tem de fazer e ultrapassar para garantir um bilhete para o Qatar. Isto num playoff inédito e com características muito específicas.

Desde logo, as 12 seleções relegadas para esta fase vão ter de disputar uma primeira eliminatória, designada de meia-final, a um jogo, em que os cabeças-de-série jogam em casa diante de um não cabeça-de-série. Ou seja, certo é que a equipa de Fernando Santos vai jogar perante os seus adeptos nessa primeira partida que será frente a Turquia, Polónia, Macedónia do Norte, Ucrânia, Áustria ou Rep. Checa.

Se conseguir ultrapassar o primeiro obstáculo, a equipa das quinas terá depois de enfrentar um dos outros cinco vencedores das meias-finais, sendo que o sorteio de dia 26 indicará logo à partida quem jogará em casa. Ou seja, se prevalecer a lei dos mais fortes nas meias-finais, Portugal poderá na final ter de enfrentar Escócia, Itália, Rússia, Suécia e País de Gales. Certo é que cada um dos vencedores destas três finais garantirá a presença no Campeonato do Mundo de 2022, no Qatar.

Ucrânia é perigo imediato

Esta será a quarta vez que a seleção nacional vai ter de enfrentar um playoff para garantir presença numa fase final de uma grande competição. Em 2010 teve de eliminar a Bósnia Herzegovina para chegar ao Mundial da África do Sul, em 2012 voltou a ultrapassar os bósnios para chegar ao Europeu que se realizou na Ucrânia e na Polónia e, finalmente, em 2014 levou a melhor sobre a Suécia para chegar o Mundial do Brasil.

Entre as seleções não cabeças-de-série que podem calhar a Portugal nas meias-finais do playoff, uma das mais acessíveis será a Macedónia do Norte, frente a quem não há registo de jogos oficiais, apenas dois particulares que se saldaram por uma vitória portuguesa e um empate.

Quem costuma criar complicações à equipa das quinas é a Ucrânia, que na qualificação para o Euro 2020 venceu o jogo em Kiev por 2-1 e empatou a zero na Luz. Aliás, Portugal só venceu um jogo aos ucranianos em jogos oficiais, foi em 1996, no apuramento para o Mundial de 1998. Difícil também costuma ser a Polónia, seleção treinada por Paulo Sousa e que tem o goleador Robert Lewandowski como principal estrela.

República Checa e Áustria, seleções que chegam ao playoff por via da Liga das Nações, têm um histórico equilibrado com Portugal em partidas oficiais. A seleção nacional contabiliza duas vitórias e uma derrota com os checos; dois triunfos, três igualdades e duas derrotas com os austríacos. Teoricamente mais acessíveis serão os turcos, com quem Portugal venceu os cinco jogos oficiais.

Já entre os cabeças-de-série, a Itália, que em julho se sagrou campeã da Europa em Wembley após vencer a Inglaterra na final no desempate por penáltis, é em teoria o adversário a evitar para a equipa das quinas, até porque o histórico não é muito favorável. Afinal, quando as duas seleções se encontraram nos grupos de apuramento para os Mundiais de 1958 e de 1994 e para o Euro 1988, Portugal foi sempre eliminado. No entanto, na Liga das Nações de 2018-19, no início da caminhada de Roberto Mancini como selecionador italiano, a equipa das quinas conseguiu o apuramento para a fase final ao vencer por 1-0 na Luz e empatar a zero em Milão.

A Escócia será em teoria o adversário mais acessível e que nos confrontos, embora esteja numa fase de crescimento e pretende estar no segunda fase final consecutiva, depois de ter estado no Euro 2020. Rússia e Suécia são seleções com quem Portugal se tem dado bem recentemente, o mesmo se pode dizer do País de Gales que ficou pelo caminho nas meias-finais do Euro2016, naquele que foi o único duelo entre as duas seleções.

Entre as equipas já apuradas para o Mundial 2022, os Países Baixos tornaram-se ontem a 10.ª equipa Europeia a consegui-lo, depois de vencer a Noruega, por 2-0.

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG