Da renúncia de Rafa aos amarelos. Nada tira foco ao jogo com checos

Um desaire em Praga hoje (19h45, RTP1) pode afastar a seleção da fase final da prova e por isso Fernando Santos não poupará ninguém a pensar no jogo seguinte, com Espanha. Há sete jogadores em risco.

Não havia como fugir do assunto e Fernando Santos esclareceu que Rafa Silva lhe solicitou apenas a "dispensa do estágio, por razões pessoais", depois de convocado para os jogos da Liga das Nações. E só posteriormente informou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) da "indisponibilidade para fazer parte da seleção".

Ou seja, o selecionador foi apanhado de surpresa com a renúncia do extremo benfiquista. Apesar disso, pediu respeito pela decisão do jogador. "Tive sempre uma ótima relação com o Rafa, como tenho com todos os jogadores da seleção. Foi o que aconteceu", disse ontem o técnico nacional na antevisão do encontro com a República Checa de hoje (19h45, RTP1), na Eden Arena, em Praga, relativo à Liga das Nações.

A chamada do estreante Gonçalo Ramos foi depois justificada pelo selecionador com os problemas físicos de João Félix. "O que aconteceu foi que no primeiro dia de estágio percebi que dificilmente o Félix poderia estar neste jogo. A vinda do Gonçalo Ramos teve a ver com o Félix. Vamos ver se para o jogo com Espanha estará, mas [o Gonçalo Ramos] não veio como substituo do Rafa", garantiu.

Já face à dispensa de Pepe por problemas físicos, Santos considerou não ser necessário chamar um substituto, uma vez que tem à disposição Rúben Dias e Tiago Djaló, além de Danilo - médio do PSG é muitas vezes usado a central. Quem fará dupla com o central do Manchester City é a questão."O Danilo já conheço há muito tempo, a sua posição não é central, mas desempenha muito bem. E, como é óbvio, treinámos juntos", revelou Rúben Dias, garantindo que a "equipa está forte e preparada" e nada preocupada com as individualidades checas, preferindo não falar do regresso de Patrik Schick.

Na baliza, o selecionador tem alternado entre Diogo Costa e Rui Patrício, mas preferiu não dizer quem joga hoje e quem jogará com Espanha (terça-feira, em Braga): "Sei quem vai jogar, mas não vou dizer. Já vos disse que o Félix não vai jogar nem vai para o banco, vai estar na bancada. A partir daí não vou dar mais informações nenhumas."

Com sete jogadores em risco de falhar o jogo com Espanha - Danilo, William Carvalho, Matheus Nunes, Bernardo Silva, Bruno Fernandes, Rafael Leão e Cristiano Ronaldo - se virem um cartão amarelo, Fernando Santos garantiu que não vai poupar ninguém frente à República Checa. "Temos de ganhar, não vai haver outra hipótese, não temos gestões. Temos de olhar para o jogo de uma única forma, é para ganhar, portanto vou procurar colocar em campo aquela equipa que entendo que para este jogo nos serve melhor", disse o técnico nacional, que tem João Cancelo castigado e deve dar a titularidade a Diogo Dalot.

O pouco secreto desejo de CR7 em jogar o Euro 2024

O adversário de hoje tem qualidade para colocar "enormes problemas" a Portugal, como prova a vitória sobre a Suíça (2-1) e o empate com Espanha (2-2). "[A República Checa] tem jogadores de muita qualidade, é uma equipa que sabe o que faz e cria sempre enormes problemas. Em Portugal foi assim e tiveram três, quatro e cinco situações. Espero uma equipa semelhante, mas temos de olhar para nós e impor o nosso jogo", afirmou o selecionador, sem esconder que o objetivo é chegar à fase final da prova e tentar repetir o triunfo de 2019.

O desejo antecipado de Cristiano Ronaldo querer jogar o Euro 2024 (altura em que terá 39 anos) não surpreendeu Fernando Santos: "Nada que estranhe. Toda a gente sabe, tantas e quantas vezes, já desde 2003 ou 2004, que ele diz que é um enorme orgulho estar presente na seleção nacional."

Para já, CR7 está disponível para fazer o jogo 190 por Portugal, por muito que isso atrapalhe os planos do selecionador checo. "Todos têm de estar atentos a Ronaldo. Quando perdemos a bola, temos de a recuperar rápido, sob pena de sofrermos com isso", revelou Jaroslav Silhavy, esperando que a sua equipa não repita os erros da partida de Alvalade (derrota por 2-0).

Concluídas quatro jornadas da Liga das Nações, Portugal está no segundo posto do grupo A2, com sete pontos, após triunfos sobre a Suíça (4-0) e a República Checa (2-0), ambos em Lisboa, um empate em Sevilha, com Espanha (1-1), e uma derrota em Genebra, perante os helvéticos (1-0). Espanha lidera, com oito pontos, enquanto a República Checa é terceira, com quatro, e a Suíça a última, com três. Como só o líder do grupo tem apuramento garantido, se Portugal perder e Espanha ganhar à Suíça, os portugueses dizem adeus à final four da Liga das Nações já hoje.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG