Exclusivo Alberto Augusto. Muito mais que o autor do primeiro golo da seleção

Em 1921, o "grupo representativo de Portugal" estreou-se com uma derrota frente à Espanha (3-1). Para a história ficou o golo de honra marcado pelo então avançado do Benfica, "um jogador perfeito". Foi o primeiro ídolo dos benfiquistas, deixou marca em Braga e Guimarães, e foi também o primeiro profissional do futebol português.

Faz hoje 100 anos que Portugal fez o primeiro jogo oficial de futebol enquanto seleção nacional. A derrota (3-1) em Madrid, frente a uma mais evoluída Espanha, pouco importa para a história daquele que foi o primeiro jogador a marcar um golo de quinas ao peito, no longínquo ano de 1921: Alberto Augusto, o Batatinha, o mestre do drible, o jogador que fazia carícias na bola, o avançado que marcava golos com remates fulminantes a 18 metros da baliza, o primeiro profissional do futebol português.

Rezam as crónicas da altura que o avançado do Benfica fez de irmão mais velho e se chegou à frente quando o irmão mais novo, Artur, que jogava no FC Porto, sofreu um penálti mas se intimidou na hora de enfrentar o temível Zamora, a quem chamavam de El Divino, e que ainda hoje dá nome ao troféu de melhor guarda-redes da Liga espanhola.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG