"Sodades" de Cesária 

Alguns dos músicos que acompanharam Cesária Évora reúnem-se amanhã no palco do Coliseu dos Recreios para concerto de celebração da vida e obra da "diva dos pés descalços", que será um dos pontos altos da programação musical de Natal em Lisboa.

São dois aniversários redondos e de grande simbolismo que este ano se assinalam, o do nascimento de Cesária Évora, que teria feito 80 anos a 27 de agosto, e o do seu desaparecimento físico, há uma década, no dia 17 de dezembro de 2011. Razões mais que suficientes para voltar a reunir em palco os músicos que sempre a acompanharam, ao longo das várias fases da carreira, para um concerto de celebração da vida e da obra da figura maior da música cabo-verdiana e uma das grandes embaixadoras da lusofonia no mundo. "Não há qualquer dúvida em relação a isso, não existe ninguém como Cesária Évora. Foi ela que mostrou a música de Cabo Verde ao mundo e nos abriu todas as portas. E fez isso apenas através da nossa música tradicional, provou que era possível", afirma ao DN Humberto Ramos, pianista da banda com quem, no início da década 90, "a diva dos pés descalços", como também ficou conhecida, gravou discos como Mar Azul (1991) e Miss Perfumado (1992), que abria com o icónico tema Sodade, entretanto tornado numa espécie de hino oficioso de Cabo Verde. À época, Cesária Évora ainda não era a estrela planetária que anos mais tarde se viria a tornar, até para surpresa de quem então a rodeava. "Na altura não imaginávamos no que se viria a tornar, embora já lá estivesse tudo aquilo que hoje lhe é reconhecido, o talento, a sinceridade, o sentimento", sublinha o músico. "Cesária Évora teve também a sorte de se saber rodear das pessoas certas, que encaminharam a sua carreira rumo ao sucesso, deixando-a brilhar através da sua música. E nem quando estava no auge deixou de ser a pessoa que sempre foi, o sucesso nunca lhe subiu à cabeça", acrescenta.

Humberto Ramos será um dos elementos da superbanda, composta por músicos de vários países, que amanhã vai subir ao palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para a estreia mundial do espetáculo Sodade - Homenagem a Cesária Évora, repetido dois dias mais tarde também em São Vicente, a ilha natal da cantora. Ao pianista juntam-se ainda Julian Corrales (violino), André Ferreira (violoncelo), Leonel Hernandez (viola), Nir Paris (bateria), Kau Paris (percussão), Cako (guitarra), Alban Chapele (saxofone), Totinho (saxofone), Vicent Raimond (trompete), José Paris (baixo) e José António (cavaquinho). Em comum, todos eles têm o facto de terem tocado com Cesária Évora nalgum momento da sua carreira. "Alguns já se conhecem há muito tempo e até já atuámos juntos em diversas ocasiões, mas acima de tudo conhecemos todos muito bem a música de Cesária Évora, que nunca deixámos de tocar", assinala.

O singular ensemble irá acompanhar seis vozes também elas habituadas a interpretar as canções de Cesária Évora: Emilio Moret (um dos cantores do icónico grupo cubano Septeto Habanero), Elida Almeida, Lucibela, Nancy Vieira, Teófilo Chantre e Tito Paris. "Um verdadeiro presente de Natal para fãs, mas também para a cidade de Lisboa", como refere Nancy Vieira, para quem este espetáculo "vai ser um verdadeiro momento de comunhão e celebração". Já a nível pessoal, será "uma honra enorme e uma responsabilidade imensa", confessa a artista de origem cabo-verdiana, que logo após a morte de Cesária Évora, fez parte de uma orquestra de tributo à "rainha da Morna", da qual faziam parte alguns destes mesmos músicos. "Desde então tenho-a cantado sempre ao longo da minha carreira e são essas músicas que vou interpretar", revela.

O espetáculo será de entrada livre, mas sujeito a levantamento prévio de bilhete (o que pode ser feito hoje, até às 21h00) e mediante um donativo de bens alimentares não perecíveis e produtos de higiene a favor da União Audiovisual. "O sector cultural foi muito impactado pela crise económica, razão pela qual decidimos reverter alguns dos concertos a favor da União Audiovisual, uma associação criada espontaneamente durante a pandemia, que alimentou, e alimenta ainda, muitos artistas e famílias", explica a presidente do Conselho de Administração da EGEAC, Joana Gomes Cardoso. A programação musical natalícia em Lisboa inclui ainda dois concertos mais ligados à quadra, a cargo do Coro de Câmara Lisboa Cantat na Igreja do Sagrado Coração de Jesus (11 dez) e do Ensemble Dan Luz Al Sol no Museu de Lisboa - Palácio Pimenta (17 dez), um espetáculo de homenagem a Gandhi, pelo músico Rão Kyao, no Templo Radha Krishna (18 dez) e ainda uma atuação de Teresa Salgueiro no Cinema São Jorge (19 dez), onde a antiga cantora dos Madredeus vai interpretar temas tradicionais do Natal português, com arranjos musicais criados em exclusivo para a guitarra clássica de José Peixoto, o acordeão de Fábio Palma, o contrabaixo de Sofia Queirós ou as percussões de Rui Lobato. Tal como no concerto de tributo a Cesária Évora, também a entrada para este último evento é efetuada mediante um donativo à União Audiovisual.

Sodade - Homenagem a Cesária Évora

Coliseu dos Recreios,
isboa. 10 de dezembro, sexta-feira,
21h.
Livre

dnot@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG