Exclusivo Portugal Global: O olhar da fotografia. "Queríamos mostrar o gosto por Portugal"

Desde ontem e até 29 de julho, no Palácio da Independência, em Lisboa, na Sociedade Histórica da Independência de Portugal, podem ser vistas 30 fotografias de 28 autores diferentes que retratam o país de diferentes prismas.

O amor a Portugal e a vontade de querer retratá-lo através do olhar da fotografia foi o motivo principal para fazer a exposição Portugal Global: O olhar da fotografia, conta José Ribeiro e Castro. O critério era claro: selecionar apenas fotografias que pudessem retratar o país. Sejam no interior, no norte ou no sul, não importa desde que o mostre pelo olhar dos fotógrafos e onde se reflita "o gosto por Portugal". Apesar de só abrir portas ao público agora, no Palácio da Independência, em Lisboa, a ideia original surgiu há praticamente um ano - quando a Sociedade Histórica da Independência de Portugal (SHIP) fez 160 anos, altura em que passou a estar presente nas redes sociais. E, por isso, era preciso uma linguagem específica para o digital. Foi aí que se decidiu recorrer à fotografia. "Publicando as imagens nas redes sociais, tivemos fotografias com muitos likes e acabámos por querer expô-las também aqui", explica.

Assim que se chega ao Palácio da Independência (no Largo de São Bernardo), entrando na primeira sala à esquerda, veem-se os nomes dos fotógrafos ali expostos, escritos na parede, ao lado de uma fotografia de Lisboa. No total, são 28 autores que têm trabalhos no local. Nem todos profissionais, como é o caso de Fernando Matos, médico de profissão e fotógrafo nos tempos livres, mas "com muita experiência e com fotografias de grande impacto", considera Ribeiro e Castro. "A escolha [dos fotógrafos] foi feita por conhecimento pessoal e por convite e assim se tem alargado. Nós queremos que esses vários olhares possam enriquecer esta exposição permanente, como lhe chamamos", justifica o presidente da SHIP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG