Obra de Banksy roubada em 2019 do Bataclan de Paris encontrada em Itália

Obra foi pintada numa saída de emergência da sala de espetáculos parisiense usada pelas vítimas dos atentados terroristas de novembro de 2015, que fizeram 130 mortos.

Uma obra do artista britânico Banksy que homenageia as vitimas dos ataques terroristas de novembro de 2015 em Paris, e que tinha sido roubada em 2019 da sala de espetáculos do Bataclan, foi encontrada no centro de Itália.

Em declarações à agência AFP, fonte oficial da Polícia de Téramo, cidade que está a cerca de 150 quilómetros de Roma, disse que foi recuperada uma porta que continha uma obra de Banksy, roubada do Bataclan, "que retrata uma rapariga triste".

De acordo com a mesma fonte, a operação foi realizada na presença da polícia francesa. A obra foi encontrada numa quinta abandonada em Abruzzo, segundo o procurador de L'Aquila, Michele Renzo, que disse que mais pormenores serão divulgados na quinta-feira.

A pintura em causa foi realizada numa porta de saída de emergência da sala de espetáculos por onde muitas pessoas escaparam do ataque terrorista perpetrado pelo Estado Islâmico (EI) que atirou indiscriminadamente contra o público matando 130 pessoas em 13 de novembro de 2015, durante um concerto da banda norte-americana Eagles of Death Metal.

Os trabalhos de Banksy, cuja verdadeira identidade é desconhecida, são conhecidas pelo seu estilo, humor irreverente e temas. Têm aparecido em todo o mundo, desde o muro da Cisjordânia a Nova Orleães, após a passagem do furacão Katrina.

Em leilão, as obras são vendidas por mais de um milhõa de dólares. Em outubro de 2018, uma dessas obras autodestruiu-se assim que foi vendida. O artista tinha incorporado uma destruidora de papel na moldura.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG