Morreu o compositor Krzysztof Penderecki, autor da música de "O Exorcista"

Compositor e maestro polaco tinha 86 anos. Foi autor, entre muitas obras, da música de filmes como "The Shining" e "Um Coração Selvagem".

O compositor e maestro polaco Krzysztof Penderecki, considerado um dos grandes e mais inovadores compositores contemporâneos, morreu no domingo, aos 86 anos, em Cracóvia, a sua cidade natal

Autor de Trenódia Para as Vítimas de Hiroshima, o compositor que ganhou vários prémios e trabalhou com orquestras sinfónicas europeias e americanas durante sua longa carreira, morreu após uma doença prolongada, segundo noticias que citam a Associação Ludwig van Beethoven de Cracóvia, fundada pela mulher do compositor, Elzbieta Penderecka.

Vencedor de quatro Grammy (em 1988, em 1999 - em duas categorias -, e em 2017), Krzysztof Penderecki compôs também para filmes de diversos realizadores, como O Exorcista, de William Firedkin, The Shining, de Stanley Kubrick, Shutter Island, de Martin Scorsese, ou Wild at heart - Um Coração Selvagem, de David Lynch.

Nascido a 23 de novembro de 1933, em Debica (sul), Krzysztof Penderecki foi admitido no Conservatório de Cracóvia aos 18 anos de idade, tendo estudado ao mesmo tempo filosofia, história da arte e literatura. Contrariamente à maioria dos compositores da sua geração, parte essencial da inspiração de Krzysztof Penderecki teve origem religiosa, com o Stabat Mater e a Paixão Segundo São Lucas.

A carreira de Krzysztof Penderecki teve início em 1959, quando as suas três composições Strophes, Emanations e Psalms of David ganharam os três primeiros prémios num concurso para jovens compositores em Varsóvia. O compositor estabeleceu-se como uma das figuras de vanguarda dos anos 60 com a obra Threnody to the Victims of Hiroshima (1960), uma composição para uma ampla gama de instrumentos de corda, pela qual é internacionalmente reconhecido.

Krzysztof Penderecki começou então a usar técnicas de composição invulgares, que faziam os instrumentos soarem de forma diferente. A sua música é rica em efeitos sonoros: folhas de metal, apitos, pedaços de vidro e metal esfregados com uma lima, guizos, sons elétricos, serras, máquinas de escrever ou sirenes de alarme dão textura sonora às suas composições.

O compositor polaco inventou também símbolos de notação musical correspondentes a estes meios de expressão musical até então desconhecidos. Graças a um degelo temporário do regime comunista na Polónia, naquela época, as obras de Krzysztof Penderecki conseguiram romper a Cortina de Ferro e tornaram-se um sucesso internacional imediato.

Mais tarde, abandonou gradualmente a sua linguagem de vanguarda, uma evolução criticada pelo mundo da música, mas aplaudida pelo público. Krzysztof Penderecki regressou então a uma escrita neo-tonal, pós-romântica, com um conteúdo e uma construção acessíveis a um público mais amplo. Em 2011, colaborou com Jonny Greenwood, guitarrista principal da banda inglesa Radiohead, e com o compositor de música eletrónica Aphex Twin, num álbum e numa digressão.

Professor de composição em várias escolas de música por todo o mundo, o também maestro ​​​​​​​Krzysztof Penderecki conduziu as mais ilustres orquestras sinfónicas da Europa e dos Estados Unidos, e é membro das academias de música de vários países.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG