Morreu Derek Fowlds, o secretário de "Sim, senhor ministro"

O ator britânico tinha 82 anos e estava hospitalizada em Bath, no Reino Unido, com uma pneumonia.

Era uma das caras mais conhecidas da televisão britânica, presença consistente no pequeno ecrã durante 27 anos. Oito deles foram passados a interpretar o secretário Bernard Woolley, o fiel companheiro do ministro da Administração Interna James Hacker (protagonizado por Paul Eddington) na série televisiva "Sim, Senhor Ministro". O ator britânico Derek Fowlds morreu, esta sexta-feira, tinha 82 anos.

Nasceu em Londres e estudou na Royal Academemy of Dramatic Art. Fez teatro, filmes e séries. A mais conhecida será "Sim, Senhor Ministro" sobre o poder que vem dos corredores na política, emitida pela BBC no Reino Unido entre 1980 e 1984 e depois de 1986 e 1988. Em Portugal, passou na RTP.

Destacou-se ainda como o agente Oscar Blaketon da série policial "Heartbeat", durante 18 anos, e o "senhor Derek", do programa infantil "The Basil Brush Show" na década de 1970. "Não sei o que dizer. Estou desesperadamente triste", escreveu a sua "melhor amiga" neste programa, uma raposa.

"Enquanto cresci a ideia de ser ator nunca me passou pela cabeça. Queria ser futebolista, um homem do desporto", revelou na sua autobiografia, publicada em 2015. A representação "era só para crianças", admitiu pensar durante a adolescência. Tudo mudou quando espetou uma espada no peito de um colega no palco do anfiteatro da escola e o público respondeu com gargalhadas. "Ouvi o som da plateia a rir pela primeira vez na minha vida e foi simplesmente arrebatador". Construiu a sua carreira a partir de então, como uma maratona e não como uma cirruda de velocidade. "Lembrem-se sempre que uma carreira artística é uma maratona e não um sprint", pediu no livro.

Derek Fowlds morreu esta sexta-feira de manhã com uma pneumonia no hospital, em Bath, Reino Unido, segundo o Guardian. Era um "homem encantador" e um "ator incrível", dizem colegas, amigos, familiares. "Nunca conheci uma pessoa melhor. Era um homem maravilhoso e vou sentir muito a sua falta", reagiu a sua assistente pessoal, Helen Bennett, citada pela BBC.

Edgar Wright, o realizador do filme "Baby Driver" (2017), usou o Twitter para prestar a sua homenagem ao ator, com "uma cena clássica da comédia britânica". No clip de "Sim, Senhor Ministro", partilhado por Wright, James Hacker explica a Bernard a importância dos jornais e o que podem dizer sobre a pessoa que os lê.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG