Milhares exigem à Netflix que cancele 'Good Omens'. Mas a série é da Amazon Prime...

Um anjo e um demónio a unirem esforços, um anticristo e principalmente uma mulher a fazer a voz de Deus. Foi demais para mais de 20 mil cristãos. Só se enganaram na plataforma que exibe a série.

Mais de 20 mil cristãos assinaram uma petição a pedir à Netflix o cancelamento de Good Omen, a série de televisão adaptada do livro de Terry Pratchett e Neil Gaiman. Mas a série é da Amazon Prime, um erro já detetado por quem iniciou o movimento que exige que esta deixe de ser exibida, mas que não impediu que o texto se tornasse alvo de troça nas redes sociais.

A série, com seis episódios, foi lançada no mês passado nos EUA e conta como o demónio Crowley e o anjo Aziraphale uniram esforços para impedir a chegada do anticristo à Terra e o anunciado apocalipse.

O último pedido de Pratchett a Gaiman antes de morrer foi que este adaptasse o romance que escreveram juntos. Gaiman cumpriu a promessa e colaborou na escrita do guião para a coprodução da BBC/Amazon.

Segundo os subscritores da petição, Good Omens é "mais um passo para fazer o satanismo parecer normal, leve e aceitável", e "faz troça da sabedoria de Deus". Reclamam ainda por a voz de Deus ser "dobrada por uma mulher" - Frances McDormand - e criticam o facto de, na série, o anticristo ser uma "criança normal".

Gaiman foi um dos que brincou com a petição no Twitter. "Isto é lindo... Prometem-me que não lhes vão contar?", escreveu o autor do livro e coautor do guião da série da Amazon Prime.