Madonna revela que o novo álbum nasceu de uma depressão em Lisboa

Numa entrevista à MTV, a veterana estrela da pop falou de 'Madame X', o seu 14.º álbum, da vinda para Portugal como uma "soccer mom" (mãe de um jogador de futebol) para o filho treinar na academia do Benfica

"Eu não fui para Lisboa para fazer um disco, essa era a última coisa que eu tinha em mente. Fui porque o meu filho quer ser jogador profissional de futebol... mas fiquei um pouco deprimida", explicou Madonna sobre o processo que levou à criação do seu novo álbum, a ser lançado no próximo dia 14 de junho mas do qual já se conhece o primeiro single, Medellin, que tem a parceria do cantor colombiano Maluma.

A veterana estrela da pop, de 60 anos e mãe de seis crianças - entre as quais David Banda, que joga nos sub-15 do Benfica -, revelou numa entrevista na MTV como o seu papel de "soccer mom" na capital portuguesa influenciou a escolha da cidade. "Ele [David] não iria ter o mais alto nível de treino nos Estados Unidos", diz a cantora que vai mesmo mais longe. "Espreitei o Mundo, fiz uma grande pesquisa e entre as cinco melhores academias para rapazes Lisboa era a que mais me agradava e cheguei ao Benfica. Então fui para Lisboa para ser uma mãe do futebol. E essa é a última coisa que se esperaria de uma rapariga controversa como eu", disse a cantora, que se mudou para Portugal em 2017. Sobr

"Primeiro eu pensei que ia ser super divertido e aventureiro, mas depois dei por mim apenas a ir levar e buscar as crianças à escola e a ir assistir a jogos de futebol. Era uma 'Billy No Mates' [alguém com poucos ou nenhuns amigos]. Fiquei um pouco deprimida e então pensei em fazer amigos e conhecer pessoas", afirmou a diva da pop, explicando como isso a inspirou para compor novas músicas.

"A maioria das pessoas que conheci eram artistas - pintores ou músicos. E eu comecei a ser convidada para as casas das pessoas e elas tinham umas sessões de sala de estar em que toda a gente aparecia com vinho, com comida, sentava-se à volta da mesa e, de repente, os músicos levantavam-se e começavam a tocar e a cantar fado, morna e samba. Eu pensava: O que se está a passar aqui? Estes artistas atuam apenas por prazer e paixão, sem serem pagos?", continuou Madonna, em conversa com o apresentador britânico Trevor Nelson, nos estúdios da MTV em Londres, numa sessão que contou também com perguntas de fãs reunidos à mesma hora em estúdios em Nova Iorque e São Paulo.

Madonna contou ainda que a influência de Lisboa em Madame X sente-se na diversidade que atravessa o disco. "Lisboa é um melting pot de culturas musicais de Angola, Guiné-Bissau, Espanha, Brasil, França, Cabo Verde. Tive o prazer e a honra de conhecer músicos de todos estes lugares, de me sentir inspirada pela sua música e de me deixar influenciar por ela. Foi daí que vieram todas as canções".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.