Escritores brasileiros lançam manifesto contra Bolsonaro em Frankfurt

João Paulo Cuenca, Geovani Martins e Bianca Santana alertam para a "escalada fascista no Brasil" e a "eleição iminente de um candidato racista, machista, homofóbico, apologista da tortura"

Os três escritores selecionados pelo Ministério da Cultura do Brasil para participar na Feira do Livro de Frankfurt, divulgaram um manifesto durante o certame para alertar para os perigos da vitória de Jair Bolsonaro, candidato do PSL, na segunda voltadas eleições presidenciais brasileiras do próximo dia 28.

João Paulo Cuenca, Geovani Martins e Bianca Santana assinam o manifesto que afirma: "Repudiamos a escalada fascista no Brasil e alertamos para a eleição iminente de um candidato racista, machista, homofóbico, apologista da tortura e que advoga pelo extermínio de ativistas e das minorias".

Bolsonaro passou à segunda volta das eleições com o candidato do PT, Fernando Haddad, surgindo bastante bem posicionado para ser o sucessor de MIchel Temer no Palácio do Planalto. Os escritores que subscrevem o manifesto justificam o apoio ao candidato de extrema-direita com o desencanto dos brasileiros com a politica e os políticos.

"Lembramos que, se o candidato é fascista, a maior parte de seus eleitores não é. O desencanto pela política levou-os a um voto de protesto com consequências desastrosas. Ainda há tempo de rever o próprio voto antes do segundo turno eleitoral, colocando o respeito às diferenças e à liberdade acima de disputas partidárias", escrevem no manifesto João Paulo Cuenca, Geovani Martins e Bianca Santana.

Os três jovens autores brasileiros, premiados e traduzidos no estrangeiro, terminam com o seguinte apelo: "Rogamos pela criação de ampla frente democrática antifascista que nos livre do pior. A Constituição de 1988 está em risco, assim como a vida de mulheres, LGBTs, negras, negros e ativistas que têm sofrido agressões por todo o país".

*A jornalista viajou a convite do Goethe Institut