Duas músicas da rainha da pop em Tel Aviv custarão quase um milhão de euros

Madonna é uma das hipóteses do festival da canção para o intervalo do evento, com um cachê bem elevado.

"O evento israelita vai ser tão histórico como histérico!". Foi assim que os promotores locais, Live Nation Israel anunciaram a presença da cantora no Festival da Canção, que terá lugar na capital israelita em Tel Aviv no dia 18 de maio.

Segundo a BBC, o valor pago a Madonna para interpretar duas canções rondará 1 milhão de euros, montante que será suportado pelo multimilionário canadiano Sylvan Adams. "Estou animado e orgulhoso por hospedar Madonna em Israel e trazê-la para a Eurovisão, que será realizada em Tel Aviv", disse Adams num comunicado na noite de segunda-feira, citado pelo Jerusalem Post. "Acredito que a performance de Madonna na Eurovisão - acompanhada por dezenas de dançarinos profissionais - dará uma contribuição significativa para o sucesso do evento e para o fortalecimento da marca positiva de Israel no mundo".

De acordo com Adams, que financiou grandes eventos e concertos nos últimos anos para apoiar Israel e impulsionar mais visitas ao país, a atuação de Madonna é algo muito positivo para o país. "Acho que quanto mais pessoas trazemos para cá, mais as pessoas veem a nossa verdadeira natureza e a verdadeira beleza do nosso país e do nosso povo, e a liberdade e abertura e tolerância e segurança do nosso país", disse numa conferência em Jerusalém no mês passado.

A assessora de imprensa da cantora confirmou à BBC a presença de Madonna, no entanto, a organização do festival da canção garante que nada está fechado e que ainda nenhum acordo foi feito. "Notícias e atualizações oficiais virão diretamente dos canais da Eurovisão no devido tempo" declarou a União Europeia de Radiodifusão, coorganizadora do festival da Eurovisão

Segundo o Jerusalem Post, foram levantadas questões sobre a presença da cantora, depois de uma das músicas que esta tinha escolhido para apresentar durante o festival ter sido considerada inadequada para o público, por parte da organização.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.