Capitão Fausto, Phoenix e FKJ a cumprir um dos momentos da noite

O segundo dia da 25ª edição do Super Bock Super Rock não encheu como no primeiro, mas aos palcos subiram artistas capazes de pôr o público a levantar poeira na Herdade do Cabeço da Flauta, no Meco. Capitão Fausto, Phoenix, FKJ, Erza Collective, Kaytranada, entre outros.

Capitão Fausto elevou a música portuguesa, com o pop rock e as letras a identificarem-se com centenas de jovens. O público foi sobretudo esse: com cada frase na ponta da língua, a trocarem olhares e abraços, entre amigos e namorados. Como se estivessem a viver um sonho - talvez um sonho de verão. A banda cumpriu como habitual, falou, agradeceu e, humildemente, lembrou outros tempos quando ainda davam os primeiros toques também no Meco. O sol ia baixando e a poeira aumentava por cada vez que os pulos acompanhavam uma nova música. Os sorrisos inocentes, os espontâneos, alguns corações partidos, mas a certeza - ou a promessa - de que:

Por mim voltamos a tentar
Com mais dedicação
Até que a nossa vida, amor, se veja livre
Desta maldição

Os cabeça-de-cartaz Phoenix «partiram» tudo enquanto estiveram no palco. A banda francesa espalhou energia e contou com uma plateia que deu resposta, a dançar ao ritmo do rock. Foi no Meco que puseram um ponto final na digressão de apresentação do mais recente disco, Ti Amo. Não estava cheio, mas esteve composto. Aliás, perderam ainda mais gente quando se aproximava a atuação de FKJ, num palco secundário.

FKJ, ou French Kiwi Juice, era um dos nomes mais esperados do segundo dia do festival e pareceu que o palco EDP foi curto para tantos seguidores da sua arte. Surpreendeu ao aparecer de cabelo curto, sem as suas mega rastas a que habitou toda a gente. O talento mantém-se e o francês mostrou como se faz: ora no teclado, ora na mesa de samplers, ora numa das quatro guitarras que ali tinha penduradas, ora no micro. Tudo junto, tudo misturado, tudo a fazer sentido. Todos queriam chegar demasiado perto, possuídos pelo momento. O estilo é muito próprio, envolvente, lento, com blues, soul e eletrónica a caprichar. É música que pode ser ouvida em qualquer parte do mundo, que junta tudo mas não junta nada em concreto. É música sem fronteiras. É arte para os ouvidos. E tocou tanto as suas mais conhecidas, como ainda soltou e o hit I Know What You Want, de Busta Rhymes e Maria Carey:

Baby, if you give it to me, I'll give it to you
I know what you want, you know I got it
Baby, if you give it to me, I'll give it to you
As long as you want, you know I got it

O momento mais alto foi com Tadow, o êxito com 143 milhões de visualizações no YouTube, que partilha com Masego, outro artista em bruta expansão mundial e que também irá subir ao palco Sagres este sábado. Foi pena não se terem cruzado no Meco, mas, por estes dias, ambos cumprem presença no festival Sónar, em Barcelona. Quando um vem, o outro vai. Ainda assim, FKJ proporcionou um verdadeiro espetáculo, acompanhado pela voz não presente de Masego e o seu corpo de perfil no ecrã grande. Como se ali estivesse, assim que se ouviu:

I be like (tadow)
Baby (tadow)
Why you so fine? (Tadow) (tadow)
Gotta make you mine (tadow) (tadow)
So hard to find (tadow) (tadow)

Noite fora houve direito a mais boa música, como a de ERZA Collective. Os quatro elementos da banda londrina deram um grande show, no palco Somersby. Um espaço pequeno, onde não faltaram fiéis e novos seguidores a soltar o corpo, ao ritmo do jazz de alta qualidade e com apontamentos de afrobeat e hip-hop. Depois, ainda veio Kaytranada, ao palco principal, um nome gigante na produção de beats do hip-hop mundial. Louis Kevin Celestin, nascido no Haiti e criado em Montreal, no Canadá, mostrou como é capaz de brincar com diferentes géneros musicais e fazer com que o velho casamento entre o hip-hop e o dance seja mais atual do que nunca. O DJ chegou a abrir concertos de Madonna e tem colaborações como Anderson.Paak, Vic Mensa, Craig David.

Este sábado os cabeça-de-cartaz são Migos, um dos maiores grupos mundiais da atualidade de hip-hop e trap, composto pelos norte-americanos Quavo, Offset e Takeoff. Mas também o português ProfJam, Disclosure, Masego e a dupla de eletrónica Booka Shade prometem animar o dia. E a noite.

Exclusivos