A série de Elena Ferrante já se estreou em Veneza. Quando chega a Portugal?

Os dois primeiros episódios da série que tem Ferrante como guionista já foram vistos no Festival de Cinema e em novembro a primeira temporada estará disponível. A NOS, que tem exibido em Portugal os conteúdos da HBO, não tem prevista a exibição de A Amiga Genial

Pelo menos parte dos leitores da tetralogia napolitana de Elena Ferrante, com mais de 30 milhões de exemplares vendidos desde 2011, estará ansiosamente à espera de ver o que fez o realizador Saverio Constanzo na adaptação televisiva de L'Amica Geniale (A Amiga Genial), o primeiro livro.

A série homónima produzida pela HBO, e coproduzida pela estação italiana RAI, é a primeira produção da HBO não é falada em inglês. E até para os italianos, cuja língua nativa será a da série, haverá legendas, pois parte das falas serão em dialeto napolitano, fazendo jus ao lugar que ao longo de décadas é paisagem (e quase protagonista) da obra de Ferrante.

O Festival de Cinema de Veneza mostrou no último fim de semana os dois primeiros episódios da série realizada por Saverio Constanzo, que tem estreia marcada para novembro, mas não em Portugal. Contactada pelo DN, a NOS, que até aqui tem exibido os conteúdos da HBO em Portugal, afirma não ter prevista a exibição da série, e acrescenta a informação já conhecida de que está a "rever o âmbito da parceria com a HBO".

Em causa está a eventual vinda da HBO para Portugal já no próximo ano, uma vez que a plataforma americana de video-on-demand está há alguns meses com candidaturas de trabalho abertas no país. O DN não obteve resposta da HBO relativamente à possibilidade de estreia da série em Portugal.

A série começa com Elena (ou Lenù, para os leitores que tenham já esta intimidade com a personagem) sexagenária a atender uma chamada. Lila desapareceu. Depois vemo-las crianças, Elena Greco (Elisa Del Genio) e Lila ou Raffaella Cerullo (Ludovica Nasti) na cena das bonecas que qualquer leitor de Ferrante não tardará em reconhecer, e que aparece no trailer da série:

Foi o produtor Lorenzo Mieli - da série The Young Pope, protagonizada por Jude Law e assinada por Paolo Sorrentino - quem apresentou a ideia à HBO. "Quando li os livros não duvidei. E menos ainda quando a minha mãe, nascida em Nápoles nos anos 50, os leu", disse a vice-presidente da HBO Francesca Orsi, citada pelo El País.

Uma das particularidades da série é ter como uma das guionistas a própria Elena Ferrante, mesmo que a sua identidade continue por revelar. Durante um ano, a escritora correspondeu-se por email com a equipa. "Nós mostravamos-lhe os nossos rascunhos e ela enviava-nos notas. Mas quando lhe propusemos um género de estrutura narrativa diferente do do livro, muito mais clássico, ela nem pestanejou", contou à Variety o realizador Saverio Constanzo. "O seu contributo está por todo o lado. Ela era o nosso compasso", acrescentou.

Recorde-se que, em 2016, a imprensa italiana afirmou ter descoberto a verdadeira identidade pord etrás do pseudónimo Elena Ferrante e que se trataria da tradutora Anita Raja, mas tal nunca se confirmou.

Outro dos aspetos que distinguem a adaptação televisiva de A Amiga Genial é que entre as quatro atrizes principais, que representam Lenù e Lila, nenhuma é profissional. Margherita Mazzucco, Gaia Girace, Elisa Del Genio e Ludovica Nasti foram escolhidas entre cerca de nove mil crianças e 500 adultas que se apresentaram nas audições, lê-se no site oficial da HBO. "Elas não nos deram outra opção: nunca tivemos dúvidas", contou Constanzo à Variety.

O realizador, de 42 anos e natural de Roma, conhecido por ter realizado filmes como A Solidão dos Números Primos (outra adaptação de um best-seller, esse de Paolo Giordano) adianta também que todo o elenco é composto por napolitanos. "Nápoles é um teatro a céu aberto. Provavelmente para se defenderem da violência sempre tiveram de usar máscaras. Todos ali são atores. As pessoas dizem erradamente que os napolitanos são atores cómicos, mas eu acho que são trágicos. E a Ferrante escreve tragédia."

Depois da estreia na 75.ª edição do Festival de Veneza, a Hollywood Reporter chamou aos dois primeiros episódios "um começo extraordinariamente promissor" e notou a banda sonora com música de Max Richter.

O acordo com a HBO prevê a adaptação dos quatro volumes que compõem a tetralogia napolitana de Ferrante, que começa com A Amiga Genial e termina com História da Menina Perdida feita ao longo de quatro temporadas, de 32 episódios no total.

Ler mais

Exclusivos