Nasceu uma "nova Guerra Fria" avisa a Medvedev

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, afirmou hoje que as relações entre a Rússia e o Ocidente entraram numa "nova Guerra Fria".

"Podemos dizer as coisas claramente: deslizámos para um período de uma nova Guerra Fria", declarou Medvedev numa conferência sobre segurança a decorrer na cidade alemã de Munique.

No contexto das tensões prov,ocadas pelo conflito na Ucrânia e do apoio de Moscovo ao regime sírio, Dmitri Medvedev disse que "o que resta é uma política de inimizade da NATO [sigla em inglês da Organização do Tratado do Atlântico Norte] em relação à Rússia".

"Quase todos os dias, somos acusados de fazer novas ameaças terríveis contra a NATO como um todo, contra a Europa ou contra os Estados Unidos ou outros países", disse.

Medvedev criticou também o alargamento da NATO e da influência da União Europeia a países europeus que integraram a antiga União Soviética desde o fim da Guerra Fria.

A Guerra Fria correspondeu a um período de tensão política e militar entre os blocos liderados pelos Estados Unidos e pela União Soviética, entre o fim da II Guerra Mundial e a queda do muro de Berlim, em 1989.

Relacionadas

Últimas notícias

Em 2013, o Governo Passos obrigou-se a três campanhas de sensibilização da opinião pública, até 2020, para combater a discriminação dos ciganos. Em 2017, o candidato do PSD a Loures faz a campanha contra eles; as sondagens dizem que a maioria aprova. De acordo com a autarquia, serão menos de 600 em 204 mil habitantes, estas pessoas que tanto incomodam. Quem são? Que fazem? Como se reconhecem? Viagem a Loures, à boleia de um estereótipo

Partilhar

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub