Recorde de temperatura. 21,7 graus no arquipélago dos ursos polares

O arquipélago de Svalbard, no Ártico, registou a temperatura mais elevada de sempre, informou o instituto meteorológico da Noruega.

Onda de calor relativo no arquipélago norueguês de Svalbard, com os termómetros a atingirem a temperatura mais elevada de sempre, 21,7 graus Celsius.

Pelo segundo dia consecutivo, o arquipélago registou 21,2 graus Celsius à tarde, pouco abaixo dos 21,3 graus registados em 1979, disse à AFP a meteorologista Kristen Gislefoss.
No final da tarde, porém, por volta das 18:00 horas locais, registou 21,7 graus, estabelecendo um novo recorde de todos os tempos.

A relativa onda de calor, prevista para durar até segunda-feira, é um enorme pico de temperaturas normais em julho, o mês mais quente do Ártico. As ilhas Svalbard esperariam normalmente temperaturas de 5-8 graus Celsius nesta altura do ano.

O aquecimento global no Ártico está a acontecer duas vezes mais depressa do que no resto do planeta.

A região tem registado temperaturas cinco graus acima do normal desde janeiro.

Segundo um relatório recente "O clima de Svalbard em 2100", as temperaturas médias para o arquipélago entre 2070 e 2100 aumentarão 7-10 graus, devido aos níveis de emissões de gases com efeito de estufa.

As alterações já são visíveis. De 1971 a 2017 foram observadas entre três e cinco graus de aquecimento, com os maiores aumentos no inverno, de acordo com o relatório.

O grupo de ilhas, com Spitzbergen à cabeça, a única ilha habitada no arquipélago do norte da Noruega, situa-se a mil quilómetros do Pólo Norte.

Svalbard é conhecido pela sua população de ursos polares, bem como como pelo silo global de sementes, um depósito que desde 2008 tem armazenado uma enorme diversidade de sementes, para usar em caso de catástrofe global.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG