Nova teoria. Afinal, um ano de idade de um cão não equivale a sete num humano

Investigadores de uma universidade americana desenvolveram uma nova fórmula que mostra que os cães envelhecem mais depressa nos primeiros anos de vida.

Afinal, é mesmo verdade a teoria de que um ano de vida dos cães corresponde a sete em humanos? Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, em San Diego, Estados Unidos, desmontaram essa ideia através de um estudo, cuja conclusão foi publicada na revista Cell Systems.

Os cientistas desenvolveram uma fórmula que se baseou nas alterações moleculares no ADN de cães labradores e chegaram à conclusão de que os cães envelhecem muito mais rápido do que os humanos no início das suas vidas, mas depois diminuem a velocidade de envelhecimento após atingirem a maturidade.

Na prática, este estudo mostra que um cão de um ano compara-se a um humano de 30 anos, mas um cão de quatro anos corresponde a um humano de 52 anos. Os investigadores concluíram que a taxa de envelhecimento dos cães diminui após completarem sete anos de vida.

"Quando pensamos sobre isto, é algo que faz sentido, afinal, um cão de nove meses de idade pode ter filhos, como tal era lógico que a proporção de um para sete anos não tinha qualquer precisão", referiu Trey Ideker, um dos autores deste estudo, que garante ser esta nova fórmula "a primeira que é transferível entre espécies".

Como tal, os cientistas preparam-se agora para testar esta nova descoberta nas outras raças de cães para avaliar a longevidade em cada uma delas.

Os investigadores estão convencidos ainda de que este estudo, nomeadamente no que diz respeito à observação de alterações nos padrões de metilação antes e após a utilização de produtos antienvelhecimento, pode ajudar os veterinários a tomar decisões mais precisas no que diz respeito a diagnóstico e tratamento de doenças.

"Eu tenho uma cadela de seis anos e ela ainda corre comigo, mas agora percebo que, afinal, ela não é tão jovem quanto eu pensava", referiu​​​​​​ ​Ideker nesse estudo publicado na revista Cell Systems.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG