Usar telemóvel ao volante é tão perigoso quanto conduzir embriagado

Estudo indica que morreram mais de seis mil pessoas em acidentes causados por distrações de condutores com os telemóveis durante o ano de 2018. Em Portugal, registaram-se 513 vítimas mortais no mesmo período.

O famoso slogan "Se conduzir, não beba" bem pode ser substituído por outro semelhante, que seria: "Se conduzir, não use o telemóvel". É essa a ideia lançada por um estudo da empresa norte-americana Zendrive, que se dedica à análise do comportamento dos condutores, e considera que o uso do telefone durante a condução é agora o maior problema, substituindo o dos condutores embriagados, devido ao número de acidentes que origina.

O estudo indica que, durante o ano de 2018, mais de seis mil pessoas perderam a vida nos Estados Unidos devido a atropelamento causado por condutores que usavam os telefones ao volante. O estudo indica mesmo que estas pessoas podem ser consideradas "viciadas em telemóveis", pois em 28% do tempo que estão a conduzir utilizam os smartphones, ignorando até o trajeto que fazem e pensando que estão a prestar atenção a tudo. E é nesse contexto que os investigadores chegam à conclusão de que houve um aumento de 10% da taxa de distração dos condutores americanos.

Este é, aliás, um problema que afeta também Portugal. É que, segundo os dados relativos a 2018, a PSP e a GNR passaram 39 276 multas relativas ao uso do telemóvel na condução, o que representou um aumento de 2385 infrações em relação a 2017. A preocupação das autoridades portuguesas também está a aumentar, até porque no ano passado morreram 513 pessoas em acidentes originados pela distração causada pelo uso de telefones e aparelhos de GPS.

Segundo o estudo da Zendrive, os chamados viciados em telefone são 9% mais lentos em situações que são obrigados a travar, sendo depois 19% mais lentos para retomar a velocidade normal.

Os utilizadores de telefones estão mais tempo na estrada do que os condutores embriagados, uma vez que passam entre 7 e 18 horas ao volante, enquanto quem consome bebidas alcoólicas passa entre 3 e 7 horas a conduzir.

Exclusivos