Urso pardo em Portugal? Cientistas não confirmam

Especialistas no estudo de grandes carnívoros não confirmam as notícias que têm saído nos últimos dias sobre o avistamento de ursos em território português. "Este histerismo só prejudica a conservação dos animais."

Começou tudo na terça-feira, quando Carlos Aguiar, professor de botânica do Instituto Politécnico de Bragança, divulgou uma fotografia de uma suposta pegada de urso no norte do país. A legenda parecia deixar pouca margem para dúvidas: "Confirmada a presença de ursos (Ursus arctos) divagantes no Barroso. Fotografia de pegadas (identificação confirmada por especialistas) da autoria do meu primo Joaquim Moutinho da Silva." Só que a confirmação, afinal, não está confirmada.

"Nunca pensei que isto tomasse estas proporções", disse o professor ao DN. "Partilhei apenas uma impressão nas redes sociais, não numa revista científica, e limitei-me a tomar por certas as declarações de um familiar meu, autor da imagem." Mas os dados já estavam lançados e a comunicação social deu-lhes eco imediato.

"Não podemos confirmar esta presença de urso no território nacional", diz Francisco Álvares, investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto e membro do LCIE - Large Carnivore Initiative for Europe, um grupo de especialistas da União Internacional para a Conservação da Natureza focado no estudo e conservação de grandes carnivoros - onde se incluem o lobo, lince e urso-pardo.

"Aquela fotografia está longe de provar alguma coisa, podem até ser duas marcas paralelas de javali. E se por um lado estes relatos de avistamentos parecem apontar para a possibilidade de uma presença, por outro sabemos onde os ursos estão em Espanha. O caminho que teriam de percorrer até chegarem a esta região tem demasiados obstáculos humanos." Pontes, estradas e até autoestradas. "Pode ser verdade, mas não é uma probabilidade."

Tudo o que está confirmado neste momento é o avistamento de ursos a uma vintena de quilómetros da fronteira portuguesa - e nem sequer na região do Barroso, antes no norte da província de Zamora, perto do Parque Nacional de Montesinho. "É provável que nos próximos anos venhamos ter a presença de ursos em território nacional, sim, mas apenas de indivíduos dispersantes, dificilmente teremos reprodução de animais no nosso território", diz Francisco Álvares

A presença de um urso em terras de Barroso não está confirmada, mas o biólogo anuncia que a Universidade do Porto vai deslocar para aquela região um investigador nas próximas semanas, a fim de apurar se o urso de que toda a gente fala é ou não um urso. "Este histerismo cria sérios problemas de conservação da natureza, porque assusta as populações e fá-las tomar pedidas preventivas de proteção que podem pôr em causa a sobrevivência do próprio urso, se ele for real, ou de outras espécies ameaçadas."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".