O Homem chegou à Lua há 50 anos. Como comemorar grátis "o grande passo"

Passou meio século desde que a Missão Apollo 11 alunou - a 20 de julho de 1969 Neil Armstrong pisava a superfície lunar e deixava o mundo de boca aberta. Comemore o dia da melhor forma.

Palácio de Belém: a Lua e o espaço contados por quem os estuda

No Palácio de Belém, a partir das 21:00, abrem-se as portas para uma noite de celebração da chegada do Homem à Lua. Oito investigadores de Astrofísica e Ciências do Espaço falam durante cinco minutos, e ao ritmo de uma sequência de 20 imagens, sobre a viagem de Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Armstrong, em 1969, como se descobrem novos planetas, a vida - e a música - das estrelas, galáxias, monstros do Universo e o seu lado sombrio, e os grandes projetos da Agência Espacial Europeia, de que Portugal faz parte. Até à 01:00, também haverá, no Jardim do Buxo, observações astronómicas. E, no Pátio do Museu, há speed-dating com os astrónomos, isto é, a possibilidade de tu cá-tu lá e fazer todas perguntas possíveis aos astrónomos do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

"Acampamento lunar": Pavilhão do Conhecimento celebra com dezenas de crianças

Um "acampamento lunar" com 75 crianças assinalar os 50 anos da chegada do Homem à lua. A recriação daquele que foi considerado "um pequeno passo para o Homem mais um grande passo para a Humanidade" está a ser lavada a cabo pelas crianças desde ontem até hoje no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

As crianças, com idades entre os 10 e os 14 anos, que participam em projetos escolares sobre o Espaço na região de Lisboa, começaram a recriar o acontecimento ontem às 14:30 e dormiram no Pavilhão do Conhecimento.

Ainda no Pavilhão do Conhecimento, será exibido domingo o filme The First Man on The Moon, de Damien Chazelle, a partir do a partir do livro homónimo de James R. Hansen e protagonizado por Ryan Gosling, no papel de Neil Armstrong. A projeção será acompanhada dos comentários de Rui Agostinho, do Observatório Astronómico de Lisboa e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Cascais: "Em Paz e em Nome da Humanidade" no Paredão

O NUCLIO (Núcleo Interativo de Astronomia) e a Câmara Municipal de Cascais assinalam este sábado os 50 anos da chegada do Homem à Lua com uma visita guiada à exposição "Em Paz e em Nome da Humanidade - 50 Anos dos Primeiros Passos Humanos na Lua", instalada no Paredão da cidade.

A visita, que começa às 21.00, será seguida de observação do céu noturno com telescópios, se as condições meteorológicas o permitirem. A exposição pode ser vista até 31 de julho.

Planetário de Braga: A Lua no teatro e nos filmes

No Planetário, celebra-se a chegada de Neil Armstrong à Lua com uma peça de teatro interativo - "FIrst Man - Oh Astronauta, tenho tantas perguntas para fazer?!" (às 10.00 e com inscrição obrigatória). Também será exibido o filme "50 Anos da Chegada à Lua", que acompanha a viagem dos três primeiros astronautas (10:30). A partir deste sábado e até 20 de agosto, são exibidas curtas-metragens e uma exposição dedicadas chegada do Homem à Lua (entrada gratuita, sujeita à disponibilidade).

Matosinhos: conversa com a cientista-astronauta com diploma da NASA

A efeméride é assinalada com uma conversa com cientistas no âmbito da iniciativa "Da Terra à Lua: 50 anos depois". A conversa sobre a viagem da Terra ao Mar da Tranquilidade, onde ocorreu a primeira alunagem, tem como intervenientes Ana Pires, a investigadora do ISEP e do INESC TEC que, no ano passado, se tornou a primeira mulher cientista-astronauta portuguesa ao obter o diploma da NASA, e José Matos, astrónomo e divulgador científico formado pela Universidade Central de Lancashire. O evento está marcado para as 22.00 e realiza-se no Museu da Quinta de Santiago.

Técnico: equipamento vai simular entrada de naves na atmosfera

A inauguração de um equipamento que simula a reentrada de naves espaciais na atmosfera terrestre é este sábado inaugurado no Instituto Superior Técnico e estará a funcionar em pleno em setembro ou outubro. O tubo de choque, onde se gera uma onda de choque com energia equiparável à das estrelas cadentes, servirá as campanhas experimentais das missões da Agência Espacial Europeia (ESA), que financiou a infraestrutura, ao reproduzir as condições de reentrada de uma nave na atmosfera terrestre ou a sua entrada na atmosfera de outros planetas do Sistema Solar, com exceção de Júpiter.

Exclusivos