Dailymotion condenado a pagar 5,5 milhões de euros à Mediaset

Plataforma francesa de partilha de vídeos terá de indemnizar grupo de televisão italiano, que congratulou-se pela vitória nos tribunais e criticou os "operadores que muitas vezes estão convencidos de estar cima da lei"

O Dailymotion, que pertence ao grupo Vivendi, foi condenado a pagar 5,5 milhões de euros à Mediaset por centenas de vídeos carregados ilegalmente, informou esta segunda-feira o grupo de televisão italiano.

A Mediaset, que pertence à família do ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, destacou que esta foi a "primeira condenação de uma série de sete casos em andamento". "De acordo com os critérios económicos reconhecidos nesta primeira sentença, a compensação final pode ultrapassar os 200 milhões de euros", frisou o grupo.

A sentença, pronunciada pelo tribunal de Roma, diz respeito a 995 vídeos cobertos por direitos de autor e carregados sem autorização desde 2006 no Dailymotion, uma plataforma francesa de partilha de vídeos. Além dos 5,5 milhões de euros, o tribunal condenou o site a pagar cerca de 100 mil euros em custos judiciais e ameaçou-o com uma multa de 5 mil euros por dia em caso de atraso na eliminação dos vídeos, alegando que o Dailymotion estava "perfeitamente ciente de que a maior parte do material na plataforma estava protegida por direitos de autor".

A Mediaset diz que "esta decisão, após um julgamento de mais de seis anos, reequilibra a relação entre quem produz conteúdo e plataformas online, operadores que muitas vezes estão convencidos de estar cima da lei".

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.