Conferência de negacionistas do clima no Porto. "Universidade está a alugar a sua credibilidade"

Presença de várias personalidades conhecidas como negacionistas das alterações climáticas numa conferência na Faculdade de Letras da Universidade do Porto está a gerar polémica. Há quem defenda um recuo da instituição

"É lamentável que a Universidade do Porto apoie uma coisa destas. Acho que deviam recuar ou pelo menos divulgar um comunicado da faculdade a dizer que se demarca da conferência". As palavras são do bioquímico David Marçal, que não concorda com esta iniciativa e foi um dos primeiros cientistas a criticar a realização no Porto da conferência "Basic Science of Climate Change", organizada pelo Independent Committee on Geoethics (IGC) com o objetivo de "(des)construir algumas ideias sobre alterações climáticas".

Autor de vários livros de divulgação científica e de esclarecimento sobre pseudociência, David Marçal considera que as "universidades que dão espaço a estas iniciativas estão a alugar, ou mesmo a oferecer, caso não existam contrapartidas financeiras, a sua credibilidade".

E é essa credibilidade que o negacionistas das alterações climáticas procuram, frisa. "As pseudociências tentam fazer conferências em universidades. Assim que o conseguem estas são consideradas credíveis. As universidades deviam ter mais atenção a estas coisas. Não é só alugar salas é também alugar a sua credibilidade e as universidades não se podem dar a esse luxo", salienta.

A conferência que decorre entre sexta-feira e sábado tem como um dos objetivos "criar confusão", defende, lembrando que o que os negacionistas querem é "contrapor toda a ciência publicada. Mas a ciência é escrutinada pelos pares. E não há uma segunda corrente sobre alterações climáticas".

David Marçal defende que os organizadores do evento pretendem criar uma "controvérsia social. Há uma longa história de lançar confusão nas alterações climáticas, procurando criar controvérsia. Mas os factos fundamentais das alterações climáticas são indiscutíveis do ponto de vista científico".

E lembra que os oradores são "pessoas que em vez de provas apresentam ideias, quadros e currículos impressionantes para convencer as pessoas".

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".