Cientistas conseguiram fazer o tempo voltar para trás num computador quântico

Investigadores russos, suíços e americanos fizeram três qubits (as unidades básicas da informação quântica) regressar ao estado em que se encontravam uma fração de segundos antes.

De acordo com o conceito de Flecha do Tempo, um sistema que viaja no tempo evolui de um estado simples para um estado mais complexo. Por exemplo, se deixarmos cair uma pinga de tinta num copo com água, ela começa por ter uma forma bem definida, antes de começar a alastrar e acabar por se dissolver na água. Mas um estudo agora publicado na revista Scientific Reports revela que cientistas russos, americanos e suíços conseguiram reverter o tempo, fazendo com que três qubits (as unidades básicas da informação quântica) regressassem ao estado em que se encontravam uma fração de segundos antes - ou seja, passassem de um estado mais complexo para um mais simples.

A ideia de fazer o tempo voltar para trás não é nova - afinal qual o humano que nunca sonhou poder ficar mais jovem com o passar do tempo? Ora o que os cientistas do Instituto de Física e Tecnologia de Moscovo, em parceria com colegas dos EUA e da Suíça fizeram foi essa reversão do tempo.

O algoritmo que criaram altera o estado de desenvolvimento quântico de forma a que ele comece a andar para trás. "Se fizéssemos esta magia com a gota de tinta, passado o tempo que esta demora a dissolver-se na água, a gota voltaria à sua forma original", explicou à revista Newsweek Andrei Lebedev, um dos autores do estado. E acrescentou: "Foi exatamente o que fizemos no nosso trabalho mas em vez de uma gota de água usámos três qubits, e em vez de água usámos o espaço de Hilbert [que não precisa estar restrito a um número finito de dimensões] do computador quântico".

Para Gordey Lesovik, outro dos autores, este trabalho insere-se numa série de estudos "sobre a possibilidade de violar a segunda lei da termodinâmica. Essa lei está ligada de perto à noção de Flecha do Tempo que define que a linha do tempo avança num único sentido: do passado para o futuro".

Na sua experiência, os investigadores estabeleceram o estado de cada qubits no que seria o zero. A partir daí, os qubits tornaram-se cada vez mais complexos, mudando o padrão para zeros e uns. Depois, o tempo foi revertido por um programa especialmente desenvolvido por eles e que permite passar de um estado de caos para um estado de ordem - do complexo para o simples. E os qubits recuaram no tempo.

Henning Bostelmann, da universidade de York no Reino Unido, veio contudo baixar as expectativas. "Arriscando-me a desiludir os fãs de ficção científica, devo dizer que o artigo não discute as viagens no tempo ou o regresso ao passado ou reverter o princípio da causa-efeito", explicou. E ainda sublinhou que para realizar esta experiência com uma amostra de tamanho razoável seria necessário um computador quântico muito maior".

Ler mais

Exclusivos