"Captain June" tem uma missão aos 95 anos: salvar tartarugas na Turquia

Há 30 anos que a britânica June Haimoff assentou na praia turca de Iztuzu, onde nem as luzes artificiais são permitidas à noite, para não incomodar a reprodução dos animais

Foi na década de 1980 que a britânica June Haimoff, agora com 95 anos, se cruzou com tartarugas na costa sul da Turquia, onde se estabeleceu e se apaixonou imediatamente pela espécie. Três décadas passadas, ainda vibra ao olhar para a praia de Iztuzu, que tem uma extensão de areia de cerca de 4 quilómetros que faz uma barreira entre o Mediterrâneo e o rio Dalyan.

O encontro com as tartarugas mudou o rumo de todos: dos animais, de June, daquela praia onde ainda luta para que continue um ambiente natural para a espécie se reproduzir sem ameaças.

"Quando vi uma tartaruga a pôr ovos, fiquei imóvel. Recordo as lágrimas nos olhos e desde esse dia comecei a guardar toda e qualquer informação sobre elas", referiu June Haimoff à Reuters.

"Sou uma mulher apaixonada por tartarugas", disse June Haimoff, carinhosamente conhecida por "Captain June" devido ao seu amor pelo mar. Explica ainda a visitantes todas as ameaças que existem aos animais e treina jovens na área da preservação ambiental.

A praia de Iztuzu tornou-se assim zona de foco no que as tartarugas diz respeito, surgindo inclusivamente, há cerca de dez anos, do Centro de Resgate de Tartarugas, que trata espécimes feridos em várias praias turcas. Yakup Kaska, o presidente do centro onde foi voluntário nos primeiros dias do projeto de conservação, diz que as principais ameaças que as tartarugas enfrentam são serem atingidas pelas hélices de barcos, engolirem ou ficarem presas em linhas e redes de pesca e comer plástico que julgam ser alforreca.

Ainda na já referida década de 80, especificamente em 1987, conseguiu, com um grupo de amigos, bloquear a construção de um hotel que iria colocar em perigo a zona onde as tartarugas se reproduzem. Desde então que a praia ficou protegida e que toda a construção está proibida. Até as luzes artificiais à noite estão banidas, o que mantém turistas longe das tartarugas, para que o ritual reprodutivo seja feito em total paz.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.