Astrolábio português reconhecido como o mais antigo do mundo

Guinness World Records certificou antiguidade da peça recuperada num navio da armada de Vasco da Gama.

Um artigo científico publicado por investigadores da universidade inglesa de Warwick revela que o Guinness reconheceu oficialmente um astrolábio da armada portuguesa de Vasco da Gama como o mais antigo do mundo.

A peça arqueológica, agora inscrita no Livro dos Recordes Mundiais, foi feita entre 1496 e 1501 e é o único exemplar de um astrolábio decorado com o símbolo nacional - no caso, o brasão das armas reais portuguesas, que também a torna o único disco sólido de origem verificável.

Os autores do artigo - David L. Mearns, Jason M. Warnett e Mark A. Williams - publicado sexta-feira, no Jornal de Arqueologia Náutica, explicam que o processo de verificação e certificação do disco como um astrolábio só foi possível com recurso a imagens laser que permitiram construir um modelo a três dimensões.

O astrolábio foi descoberto em 2014 no interior da caravela Esmerada, afundada no oceano Índico durante a segunda viagem de Vasco da Gama à Índia (1502-1503).

A par do astrolábio, o Guinness certificou também a autenticidade de um sino recuperado no interior da mesma caravela e onde estava inscrita a data de 1496.

Os marinheiros portugueses foram os primeiros a usar um astrolábio, em 1481, durante uma viagem ao longo da costa ocidental de África.

Sendo o mais antigo astrolábio usado pelos marinheiros de 1500, os autores consideram que ele permite preencher uma lacuna cronológica no desenvolvimento desses instrumentos - podendo mesmo ser um instrumento de transição entre o astrolábio planisférico clássico e o astrolábio de tipo aberto que começou a ser utilizado antes de 1517.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.