Alessandro e Andrea são gémeos, mas nasceram com dois meses de diferença

Uma italiana foi mãe de dois gémeos com dois meses de diferença. Depois de ter um parto prematuro, os médicos conseguiram manter a placenta intacta, de forma a poder prolongar a segunda gestação.

Uma italiana de 40 anos, de Lodi (a 40 km de Milão), grávida de gémeos, acabou por ter de recorrer à urgência em dezembro e foi hospitalizada, uma vez que se antevia um parto prematuro. Na véspera de Natal, nasceu o Alessandro, com 24 semanas de gestação (seis meses) e 800 gramas de peso.

Mas a equipa médica conseguiu manter a placenta intacta e o cordão umbilical para que prosseguisse a segunda gravidez.

A decisão de manter a segunda gravidez não foi fácil, descreve o jornal italiano Corriere della Serra. Se por um lado, a permanência do bebé no útero da mãe garantia um maior sucesso para a sua sobrevivência; por outro, havia o perigo de a grávida sofrer uma hemorragia, com consequências graves para a mulher e para a criança.

A equipa médica esperava prolongar a gravidez pelo menos mais dez dias, mas Andrea nasceu a 22 de fevereiro às 33 semanas, precisamente 60 dias depois, com quase três quilos, e já foi para casa. O Alessandro permanece no hospital, devendo sair sair dentro de duas semanas.

O que escrever na certidão

O pai, Sérgio, dorme muito pouco, circula entre o hospital e o banco onde trabalha. Não é católico praticante, mas na noite em que nasceu o primeiro filho, refugiou-se numa capela e rezou, conta o Corriere della Serra. Alugou uma casa a 50 metros do hospital para facilitar as deslocações. E a mãe, Lucia, passo o dia com Alessandro e vai a casa dormir.

Além das maravilhas da medicina, também de toda a dificuldade de gestão doméstica com o nascimento de dois filhos no espaço de dois meses, Sérgio referiu as dificuldades administrativas. "Quando Alessandro nasceu, no cartório perguntaram: 'Devemos escrever um gémeo de dois gémeos, um dos quais deverá nascer?'. Não sabiam o que colocar na certidão de nascimento".

Foram os responsáveis da instituição onde as crianças nasceram, a Fondazione Monza e Brianza per il Bambino e la sua Mamma, do Hospital San Gerardo de Monza, perto de Milão, que anunciaram esta quinta-feira, o nascimentos dos gémeos, um em 2018 e outro em 2019. Com um comentário: "É a primeira vez que vemos um caso destes"

Exclusivos