Cão com 14 000 anos tinha pedaços de um rinoceronte lanudo no estômago

O canídeo foi descoberto há dez anos na Sibéria em bom estado de conservação. No estômago tinha pedaços de um animal de muito maior porte, o já extinto rinoceronte lanudo, revelam agora análises de ADN.

Foi uma descoberta inesperada para os cientistas que estudam o corpo de um canídeo da Idade do Gelo perfeitamente preservado: encontraram no seu estômago um pedaço do que poderá ser um dos últimos rinocerontes lanudos.

Os investigadores russos escavaram pela primeira vez o corpo peludo preservado do canino - que pode ser um cão ou um lobo - na Sibéria, em 2011.

Dentro da barriga do animal de 14 000 anos havia um pedaço de tecido peludo. A princípio, os cientistas presumiram que o fragmento pertencia a um leão das cavernas, por causa do pelo amarelo fino. Mas os testes feitos por especialistas do Museu de História Natural de Estocolmo contaram uma história diferente.

"Quando os testes de ADN regressaram, os resultados não se pareciam nada com os de um leão das cavernas", disse à CNN Love Dalen, professor de Genética Evolutiva no Centro de Paleontologia Genética, uma parceria entre a Universidade de Estocolmo e o Museu Sueco de História Natural à CNN.

"Temos uma base de dados de referência e ADN mitocondrial de todos os mamíferos. Comparamos os dados de diferentes sequências genéticas com os resultados daqueles testes, e era uma combinação quase perfeita com o rinoceronte lanudo", explicou Love Dalen.

O especialista diz que a descoberta "é completamente inédita" já que não há "conhecimento de nenhum carnívoro congelado da Idade do Gelo em que se tenham encontrado pedaços de tecido dentro".

Os cientistas determinaram que a pele do rinoceronte tinha cerca de 14 400 anos.

"Este canídeo foi datado de cerca de 14 000 anos. Também sabemos que o rinoceronte lanudo foi extinto há 14 000 anos. Portanto, potencialmente, este canídeo comeu um dos últimos rinocerontes lanudos", disse Love Arden.

Como o pedaço de rinoceronte foi parar ao estômago do canídeo é algo que permanece por explicar. Edana Lord, estudante de doutoramento no Centro de Paleogenética que é coautora de um artigo que estuda a morte do rinoceronte lanudo, disse à CNN que as criaturas teriam aproximadamente o mesmo tamanho do rinoceronte-branco moderno, tornando improvável que o canídeo matasse o rinoceronte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG