Cães-cantores reaparecem na natureza 50 anos depois

Raça muito parecida com o lobo tinha sido dada como extinta no estado selvagem. Investigadores conseguiram localizar os cães, agora nas altas montanhas da Indonésia.

Um grupo de cientistas confirmou através de um artigo na revista PNAS que o cão-cantor-da-nova-guiné, uma raça muito semelhante aos lobos que se pensava estar extinta em estado selvagem, afinal continua vivo na natureza, a habitar nas montanhas mais alta da Indonésia.

O cão-cantor é muito parecido com o lobo e capaz de emitir sons semelhantes ao uivo dos lobos e das hienas. Aliás, foi devido a esta característica que ganharam este nome.

A última vez que um cão-cantor-da-nova-guiné foi visto remonta ao início da década de 1970. Depois disso, vários nativos foram ocasionalmente informando sobre alegados avistamentos, mas nenhum com base científica.

Em 2012, um guia de ecoturismo que acompanhava um cliente tirou uma fotografia de um animal muito semelhante nas montanhas da Papua Ocidental (província da Indonésia localizada na Nova Guiné). E no ano de 2016, cerca de 15 animais foram fotografados perto de Grasberg, a maior mina de ouro do mundo, situada na Indonésia.

Na altura pensou-se que estes cães selvagens pertenciam a outra espécie ainda mais rara, mas o estudo publicado agora recentemente, com base em amostras biológicas e ADN, vem afinal provar que se trata mesmo de cães-cantores. O estudo foi feito com base em amostras de alguns exemplares que se encontram em cativeiro - nesta condição só existem no mundo entre 200 e 300.

"Os estudos que fizemos mostram claramente que o ADN dos cães das montanhas altas da Indonésia coincide com os cães-cantores que temos em cativeiro. Isto significa que esta raça não está extinta na natureza", assinalou Elaine Ostrander, uma das autoras do estudo agora publicado, investigadora do Instituto Nacional de Investigação do Genoma Humano.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG