Bebé abandonado no lixo. "Está saudável e alimentado"

O recém-nascido está agora internado na Maternidade Alfredo da Costa, mas, em "termos clínicos", não precisará de ficar hospitalizado mais do que 48 horas, disse o responsável da unidade de cuidados intensivos neonatais do Hospital Dona Estefânia.

"Está saudável e alimentado", mas ainda está internado na Maternidade Alfredo da Costa (MAC) o bebé, do sexo masculino, que foi encontrado, na terça-feira, num caixote do lixo na Avenida Infante D. Henrique, em Lisboa.

A atualização do estado de saúde do recém-nascido foi divulgada esta quinta-feira por Daniel Virella, responsável da unidade de cuidados intensivos neonatais do Hospital Dona Estefânia, em Lisboa. "Está com uma proteção antibiótica, que se manterá mais um dia ou dois até se garantir que não está infetado. De resto está bem", especificou o médico.

"Não sabendo o que se passou, ninguém diria que lhe aconteceu alguma coisa", reforçou Daniel Virella afirmando que o estado de saúde do bebé "é bom, felizmente".

"Em termos clínicos não precisará de mais de 48 horas [no hospital], por segurança", explicou ainda sobre a situação em que se encontra o bebé encontrado por um sem-abrigo num ecoponto, junto à discoteca Lux-Frágil.

Em conferência de imprensa no Hospital Dona Estefânia, Daniel Virella fez questão de elogiar a equipa do INEM que transportou o bebé do local onde foi encontrado, na zona de Santa Apolónia, para o hospital. "Devo dizer que foi feito um bom trabalho pela equipa do VMER [Viatura Médica de Emergência e Reanimação], que aqueceu, estabilizou e hidratou a criança. Nós só tivemos que completar o trabalho que foi iniciado", destacou.

Quando o recém-nascido chegou, o "trabalho mais complexo foi dar-lhe um banho". "Não houve nada de muito mais grave do que isso. Obviamente que foram feitas as análises e os exames complementares que são habituais numa situação destas. De resto são basicamente cuidados de prevenção", afirmou o médico.

Inicialmente o bebé deu entrada no Hospital Dona Estefânia porque a urgência de pediatria encontra-se nesta unidade de saúde do Centro Hospitalar Lisboa Central. Para "avaliação e cuidados imediatos" foi internado na unidade de neonatologia do D. Estefânia, onde "só precisou de avaliação e de cuidados quase que mínimos".

Falta a resposta do Estado sobre para onde o bebé será reencaminhado

Por não precisar de cuidados médicos complexos e cirúrgicos desta unidade foi depois transferido para a unidade de cuidados gerais de neonatologia na Maternidade Alfredo da Costa, que tem competências diferentes", esclareceu Daniel Virella.

O médico afirmou ainda que "é uma criança de termo, com o peso normal". Reforçou que "clinicamente não há nada que impede" o bebé de ter alta dentro de um ou dois dias.

Questionado sobre para onde o bebé será reencaminhado após ter alta, o responsável afirmou que esse é um assunto que cabe às entidades competentes decidir. "Daremos alta para onde a tutela indicar que é licito e seguro".

Virella referiu que o hospital só tem a criança a seu cuidado."Todas as outras diligências não são da nossa competência, uma vez comunicado à Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ) cabe a esta, em concordância com outros órgãos do Estado que considerar necessários, encontrar a solução e transmitir-nos".

O médico acrescentou que não decorreu ainda o tempo suficiente para alguém que não os pais procederem ao registo do bebé.