Aviação a hidrogénio: a nova aposta de Bill Gates e Jeff Bezos

O cofundador da Microsoft e o fundador da Amazon estão entre os investidores numa startup que quer lançar aviões movidos a hidrogénio, para cortar as emissões de carbono do setor de aviaação

A ZeroAvia Inc., uma startup de aviação movida a hidrogénio, conseguiu recolher 37,7 milhões de dólares [cerca de 32 milhões de euros] em financiamento, do governo do Reino Unido e de um grupo de investidores que inclui Bill Gates e Jeff Bezos.

A empresa disse que pretende usar o dinheiro para avançar no desenvolvimento de tecnologia que poderia cortar as emissões de carbono do setor de aviação, substituindo a propulsão de queima de combustível fóssil por um sistema de célula de combustível de hidrogénio, escreve o site da Bloomberg.

A empresa obteve 21,4 milhões de dólares numa ronda de financiamento na qual entraram a Breakthrough Energy Ventures, um fundo apoiado pelo co-fundador da Microsoft Bill Gates, e o Climate Pledge Fund da Amazon, empresa fundada e liderada por Jeff Bezos, além de outros fundos importantes como o Horizons Ventures Ltd., Shell Ventures e Summa Equity.

O governo do Reino Unido também investiu 12,3 milhões de libras (cerca de 13,6 milhões de euros) na empresa, com sede em Londres e na Califórnia, que pretende fabricar um avião elétrico movido a hidrogénio com capacidade para 19 lugares até 2023.

A ZeroAvia fez história em setembro passado, ao realizasr o primeiro voo comercial com uma aeronave elétrica movida a hidrogénio. No teste, que durou 20 minutos, um pequeno avião de seis lugares descolou de uma base aérea em Bedfordshire, Inglaterra, e cruzou alguns condados do sul do Reino Unido.

Segundo a Bloomberg, o CEO Val Miftakhov disse que 10 companhias aéreas estão a preparar-se para usar a tecnologia da empresa assim que estiver pronta para venda, em 2023.

A gigante Airbus também já apresentou três protótipos de aviões 100% elétricos movidos a hidrogénio, com zero emissões, para operar em rotas curtas, médias e de longa distância - com o objetivo de iniciar a operação comercial em 2035.

A indústria da aviação adicionou mais de mil milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono à atmosfera em 2019, de acordo com a Bloomberg, e o hidrogênio pode ser a chave para reduzir as emissões do setor nas próximas décadas.

A aposta merece pelo menos a atenção de dois dos homens mais ricos do mundo. Segundo a lista de milionários atualizada em tempo real pela revista Forbes, Jeff Bezos, o fundador da Amazon, tem a maior fortuna mundial, avaliada esta quarta-feira (16) em cerca de 152 mil milhões de euros, enquanto Bill Gates é o quarto mais rico do mundo, com uma fortuna de cerca de 98,1 mil milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG