A palavra "mulher" tem novas definições nos dicionários de Oxford

Para combater o sexismo e estereótipos de género, a Oxford University Press efetuou mudanças nas definições da palavra "mulher" nos seus dicionários, incluindo o Dicionário de Inglês Oxford. Publicações passam a incluir formas mais positivas de descrever uma mulher.

"Expandimos as definições da palavra 'mulher' nos nossos dicionários com mais exemplos e frases idiomáticas que retratam as mulheres de uma maneira positiva e ativa", refere o departamento de publicações da Universidade de Oxford, num comunicado citado pela CNN.

A editora diz que isto faz parte do esforço contínuo de "reexaminar" a linguagem para garantir que esteja atualizada para um "público moderno".

"Assegurámos que sinónimos ou sentidos ofensivos sejam claramente rotulados como tais e incluídos apenas onde houver evidências de uso no mundo real", acrescenta.

Por outro lado, frases como "a mulher do momento" foram adicionadas para igualar a expressão até aqui exclusivamente masculinizada de "homem do momento", utilizada para realçar alguém em destaque.

A diversificação das definições de "mulher" incorpora também uma nova abertura à inclusão de relações pessoais mais diversificadas: assim, mulher refere-se agora a "esposa, namorada ou amante" de uma pessoa, em vez de estar ligada apenas a um homem.

Mas também a definição de "homem" foi atualizada para incluir termos de género neutro.

Uma petição no site Change.org, em 2019, exigia que as publicações da Universidade de Oxford removessem os termos sexistas nas definições de mulher. A petição foi assinada por dezenas de milhares de pessoas.

Entre as frases denunciadas, estavam exemplos como os seguintes: "A Sra. September vai personificar a mulher profissional, inteligente e sexy;" "Eu disse para você estar em casa quando eu chegar, mulherzinha;" ou "Se isso não funcionar, elas podem tornar-se mulheres de rua". Frases que surgiam em livros de referência produzidos pela editora, bem como no dicionário online Lexico, que obtém conteúdo dos dicionários da Universidade de Oxford..

Os lexicógrafos de Oxford reviram então exemplos e atualizaram conteúdos para assegurar que as representações da mulher passam a ser "positivas e ativas", disse a organização.

Assim, foram adicionados avisos em palavras "ofensivas, depreciativas ou datadas". E os sinónimos foram revistos de forma a garantir que são "sinónimos genuínos".

Por isso, alguns dos sentidos atribuídos à palavra mulher no passado, como "wench" [moça" ou "prostituta"] ou "piece" ["pedaço", num termo de objetificação sexual]", foram removidos ou viram ser-lhes acrescentado um rótulo de ofensivos, como acontece com o termo "bitch" ["vadia" ou "puta"].

A definição de "trabalho doméstico" também foi atualizada para tirar os atributos de género. "Ela ainda faz todo o trabalho doméstico" foi alterado para "Eu estava ocupado a fazer o trabalho doméstico quando a campainha tocou".

"Os nossos dicionários refletem, não ditam, a forma como a linguagem é usada", afirma a editora da Universidade de Oxford, no comunicado citado pela CNN. "O conteúdo é motivado apenas pela evidência de como pessoas reais usam o inglês nas suas vidas diárias."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG