Setor da saúde alvo de 1.400 reclamações no primeiro trimestre de 2022

Os principais motivos de reclamação são a má qualidade do atendimento das queixas e os problemas na marcação de consultas e exames.

Uma análise feita pelo Portal da Queixa ao setor da Saúde revelou que foram feitas mais de 1400 reclamações em 2022. Entre os dias 1 de janeiro e 31 de março de 2022, houve um crescimento de 6% face ao mesmo período em 2021.

Na análise de dados realizada, verificou-se que entre os principais motivos de reclamação reportados estão a má qualidade do atendimento, com 49% das queixas, e os problemas com consultas e exames, nomeadamente dificuldades na marcação de consultas, na realização de exames e na entrega de resultados de exames com 19%; questões contratuais relacionadas com cancelamento, renovações e rescisões de contratos, com 11% das reclamações; questões relacionadas com pagamentos, cobranças e reembolsos, com 8%; atraso, reembolso e problemas com encomendas de produtos de saúde, com 3% e outros problemas, a gerar 10% do total de reclamações.

Cerca de 12% das queixas estão relacionadas com a covid-19, apontando para a realização de exames, à entrega de resultados e o acesso aos certificados digitais.

Os grupos de saúde privados tiveram um crescimento de 59%. Os hospitais e as maternidades tiveram um aumento de 20% das queixas deste ano. Já os planos de saúde tiveram um decréscimo, com apenas 11% e 9% das queixas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG