Rendeiro diz que só regressa a Portugal ilibado ou com indulto de Marcelo

Ex-banqueiro em fuga volta a quebrar silêncio e compara-se a Ricardo Salgado, que diz ser "protegido do sistema".

O ex-banqueiro João Rendeiro, em fuga por ter sido condenado no caso BPP, voltou a quebrar o silêncio e afirma que só regressará a Portugal caso a justiça o ilibe ou se o Presidente da República lhe garanta um indulto.

As declarações foram proferidas numa entrevista ao canal CNN Portugal, que arrancou na noite de segunda-feira no espaço até agora ocupado pela TVI24, numa entrevista feita em colaboração com o jornal Tal e Qual.

Segundo a CNN Portugal, que avança parte do conteúdo da entrevista, Rendeiro compara-se mesmo com o antigo homem-forte do BES, Ricardo Salgado, de forma desmerecedora para si mesmo: Salgado é "protegido pelo sistema", afirma.

"Como nunca paguei nada a ninguém e não tenho segredos de Estado, sou um poderoso fraco", considera o ex-banqueiro do Banco Privado Português. Já Salgado "segue com a sua vida tranquila em Lisboa".

"Dois pesos e duas medidas" da justiça portuguesa que Rendeiro justifica com o facto de Salgado ser "uma pessoa que tem muita informação sobre operações delicadas e intervenientes também complexos".

Continuando a comparação da sua situação com a do antigo presidente do Grupo Espírito Santo, Rendeiro diz que os crimes que lhe são imputados "não são muitos", quando comparados "com os 60 de Ricardo Salgado".

O caso do Universo Espírito Santo encontra-se ainda em fase de instrução, nas mãos do juiz Ivo Rosa. João Rendeiro foi já condenado por três vezes e está em fuga, em parte incerta.

Esta é a segunda vez que Rendeiro presta declarações à imprensa desde que está em fuga. A anterior aconteceu ao portal SAPO24, para defender a mulher -- atualmente em prisão domiciliária -- no caso das obras de arte que era fiel depositária. "Como é evidente, ela era fiel depositária só de nome. Aliás, pensava que já não era", disse então.

Marcelo diz que já é tarde

Após serem conhecidas estas declarações de João Rendeiro, o Presidente da República respondeu à questão.

À entrada da festa de inauguração da própria CNN, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado acerca da possibilidade de um indulto ao ex-banqueiro e retorquiu: "O indulto tem de ser pedido pelo próprio até 30 de julho. Já passou".

Além disso, acrescentou, todos os pedidos de indulto passam sempre "por pareceres vários, pela decisão da Ministra da Justiça"... todo um processo que já é atualmente impossível de cumprir.

"O problema é que nesta altura, em novembro, já é tarde. Há muitos outros que estão em fila e que respeitaram o prazo", resumiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG