Rendeiro só será ouvido às 12h00. Defesa pede transferência de prisão após ameaças de morte

Ex-banqueiro vai ser ouvido às 12.00 (hora de Lisboa) desta terça-feira, um dia após ter sido transferido para a prisão de Westville, a 30 quilómetros, uma das maiores do país e a única da região de Durban, com dezenas de milhares de reclusos

A equipa de defesa de João Rendeiro vai pedir a transferência para outra prisão, depois de o ex-banqueiro ter recebido ameaças de morte, disse a advogada June Marks à agência Lusa.

"Como resultado das notícias" nos órgãos de informação, "ele [João Rendeiro] está a receber ameaças de morte", referiu a advogada, explicando que "os outros prisioneiros ouvem as notícias na rádio".

June Marks acrescentou: "Vamos pedir a transferência" do antigo presidente do BPP.

No final da audiência de segunda-feira, à saída do tribunal de Verulam, João Rendeiro foi transferido para a prisão de Westville, a 30 quilómetros, uma das maiores do país e a única da região de Durban, com dezenas de milhares de reclusos.

Ainda nenhuma das autoridades revelou detalhes sobre em que condições João Rendeiro está detido, mas esta terça-feira chegou num carro celular coletivo, juntamente com vários reclusos, segundo informaram os guardas do tribunal.

Através das pequenas grades era possível ver várias pessoas dentro da viatura, algumas em grande algazarra ao verem câmaras de filmar e vários jornalistas à porta do tribunal.

A viatura chegou pelas 09:35 (07:35 em Lisboa) e a audiência estava inicialmente prevista para as 11.00 locais (9.00 em Lisboa), mas foi adiada para as 14.00 locais (12.00 em Lisboa), segundo a RTP 3 e a CNN Portugal.

Este é o segundo dia em que João Rendeiro está na sala de tribunal, depois de na primeira presença perante juiz, na segunda-feira, para legalizar a prisão preventiva, a defesa ter pedido liberdade sob fiança.

June Marks adiantou que preferia que o caso fosse transferido para Joanesburgo, ao ser questionada anteriormente pela Lusa sobre essa possibilidade, face à capacidade do tribunal de subúrbios de Verulam.

O ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) foi preso no sábado, num hotel em Durban, na província sul-africana do KwaZulu-Natal, numa operação que resultou da cooperação entre as polícias portuguesa, angolana e sul-africana.

João Rendeiro estava fugido à justiça há três meses e as autoridades portuguesas reclamam agora a sua extradição para cumprir pena em Portugal, relativamente a três processos distintos relacionados com o colapso do BPP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG