Em janeiro morreram de covid 179 pessoas por dia. O pior mês de sempre

Há 303 mortes e 9498 novos casos de covid-19. Número de óbitos iguala valor recorde atingido na última quinta-feira. Há 6694 pessoas hospitalizadas nos hospitais portugueses, mais 150 que no dia anterior.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 303 mortes e 9498 novos casos de covid-19, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo (31 de janeiro). São mais dez óbitos que os registados nas 24 horas anteriores e um valor que iguala o anterior máximo diário, atingido na última quinta-feira.

Já o número de novos casos registou um decréscimo de 2937 casos face ao boletim de sábado (12 435 casos). É o terceiro dia consecutivo em que o número de novos contágios baixa, depois do pico de 16 432 casos contabilizados na última quinta-feira.

Há agora 6694 pessoas internadas nos hospitais portugueses, mais 150 que no dia anterior, e mais 15 doentes em cuidados intensivos, num total de 858.

Há, nesta altura, 181 633 casos ativos de covid-19 em Portugal. Nas últimas 24 horas recuperaram da doença 7511 pessoas.

Em termos geográficos, a região de Lisboa e Vale do Tejo mantém-se como a mais afetada, mas cai abaixo da barreira dos cinco mil: foram 4834 novos casos. Já no número de mortes a região destaca-se ainda mais: 153 nas últimas 24 horas, mais de metade do total nacional (50,5%).

A região centro teve 77 mortos nas últimas 24 horas, enquanto a região norte contou 48. Em termos de novos casos, o norte contabilizou 2651 e o centro 1385.

Janeiro teve uma média de 179,8 mortes por dia

Hoje chega ao fim aquele que é o pior mês da pandemia desde que o primeiro caso foi detetado em Portugal, em março de 2020. Em janeiro, Portugal passou a barreira dos 5000 mortos no espaço de um mês, um pouco menos de metade do total de óbitos registados até agora.

No total morreram 5576 pessoas em Portugal por covid-19 durante este último mês - mais 3175 que em dezembro.​​

Números que representam ​​​​​uma média de 179,8 óbitos por dia, em janeiro, em contraste com a média de 77,4 de dezembro. E a tendência tem sido de crescimento: só nos últimos 7 dias morreram 2013 pessoas, mais 405 que na semana anterior (1608).

O primeiro dia em que se ultrapassou a barreira dos 100 mortos diários foi a 8 de janeiro (118 mortes). Daí para a frente o valor nunca baixou da centena. A 19 de janeiro superou os 200 mortos diários (218).

Em números globais, Portugal contabiliza 12 482 mortes em consequência da pandemia do novo coronavírus.

Quanto aos contágios, em janeiro foram registados em Portugal 306 208 casos de covid-19, uma média de 9877,6 por dia. Foram mais 190 591 contágios do que os registados durante o mês de dezembro. Números com claras consequências ao nível dos internamentos, que vão agora nos 6694, um aumento de 136% em 31 dias.

Há um mês, no final de dezembro, havia 2840 pessoas internadas. Destas, 482 estavam em unidades de cuidados intensivos, um número que entretanto subiu para 858.

Novas regras em vigor a partir deste domingo

Este domingo estão já em vigor as novas medidas de contenção da pandemia, nomeadamente novas regras para entrar e sair do país.

Ao abrigo do decreto do Governo que regulamenta o décimo estado de emergência, aprovado esta semana na Assembleia da República, ficam limitadas as deslocações para fora do território continental por qualquer meio de transporte, com exceção das ligações aéreas para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, assim como para casos relacionados com trabalho, regresso a casa, transporte de correio e de mercadorias e fins humanitários e de emergência.

O controlo nas fronteiras é retomado e vai limitar a circulação entre Portugal e Espanha a pontos de passagem autorizados. Há oito pontos de passagem permanentes (24 horas por dia), cinco pontos de passagem autorizados nos dias úteis das 07.00 às 09.00 e das 18.00 às 20.00 horas, e um ponto de passagem autorizado (Rio de Onor) às quartas-feiras e aos sábados das 10.00 às 12.00 horas.

.A circulação ferroviária e fluvial entre Portugal e Espanha está suspensa, exceto para transporte de mercadorias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG