Morreu Maria de Lourdes Modesto, referência da cozinha portuguesa

Vulto da gastronomia e cozinha portuguesas tinha 92 anos. Estava hospitalizada há vários meses.

Morreu esta terça-feira Maria de Lourdes Modesto, rosto incontornável da gastronomia portuguesa e autora de vários programas de televisão sobre culinária. Tinha 92 anos.

A notícia foi dada por Fátima Moura, autora do blogue Conversas à Mesa, na rede social Facebook.

Maria de Lourdes Modesto, nascida em Beja em 1930, estava hospitalizada há vários dias.

O funeral será realizado no crematório de Alcabideche, em Cascais, na sexta-feira.

A autora iniciou a sua carreira televisiva em 1958, quando, enquanto professora de Trabalhos Manuais no Liceu Francês de Lisboa, foi convidada pela RTP para apresentar um programa cultural.

Foi na televisão pública portuguesa que apresentou, ao longo de 12 anos consecutivos, "Culinária", um programa que se tornou num ícone televisivo e considerado pioneiro do conceito de "live cooking".

O sucesso do formato, que partia da sua paixão pela cozinha alentejana, levou-a aprofundar conhecimentos e a estudar a culinária francesa e as tradições gastronómicas portuguesas.

Escreveu vários livros de cozinha portuguesa, dos quais se destacam a "Grande Enciclopédia da Cozinha", "Cozinha Tradicional Portuguesa" (o livro de culinária mais vendido em Portugal) e "Receitas Escolhidas". O seu nome está ainda ligado à tradução e edição de obras estrangeiras.

Numa reação à Lusa ao desaparecimento da autora e cozinheira, o 'chef' José Avillez comentou que "hoje partiu uma querida amiga, avó (emprestada), professora, musa inspiradora..."

"A pessoa a quem devo muito do que sei, brilhante cozinheira e comunicadora. A grande referência da Gastronomia Portuguesa e incontornável no panorama da gastronomia mundial. Quem melhor registou e descreveu as Cozinhas de Portugal que nos deixa uma herança inigualável: os ensinamentos da nossa Cozinha Tradicional Portuguesa", afirmou numa resposta por escrito à Lusa, expressando ainda gratidão a uma pessoa que considera imortal.

O jornalista e escritor Miguel Esteves Cardoso, também ele apaixonado pela gastronomia, chamou-a "diva da gastronomia portuguesa", e o também jornalista José Quitério, que popularizou a crítica gastronómica no jornal "O Expresso", aclamou-a como "uma das cada vez mais raras guardiãs do fogo".

O New York Times tratou Maria de Lurdes Modesto, num artigo de 04 de março de 1987, como a Julia Child portuguesa, numa alusão a uma celebridade culinária televisiva norte-americana e que deu origem ao filme Julie & Júlia, protagonizado por Meryl Streep.

A 09 de junho de 2004 foi condecorada como comendadora da Ordem do Mérito. Foi casada com Carlos Assis de Brito, que conheceu quando trabalhou na RTP.

O seu último livro intitulava-se "Coisas que eu Sei" e foi publicado em maio de 2021, mas para trás ficam obras como "Cozinha Tradicional Portuguesa" (1981), com fotografias de Augusto Cabrita, "Cozinhar com vegetais" (2006), "Queijos portugueses: e um olhar gastronómico sobre famosos queijos europeus" (2007), "Cogumelos do campo até à mesa - conhecer, conservar e cozinhar (2010)" e "Sabores com história" (2014).

"Passa-se a vida a aprender coisas e, aos 80 anos, há muitas coisas que eu sei. Coisas que 'fui sabendo', para usar uma fórmula cara aos alentejanos. Essas coisas que fui sabendo, ao longo dos anos, são, no fundo, a matéria dos meus livros", escreveu na sua última obra.

"São coisas que nunca quis só para mim, mas para repartir com os outros, como se eu fosse um elo numa longuíssima cadeia, pois muitas destas coisas aprendi-as de outras pessoas que também as repartiram comigo", disse, acrescentando: "Além destas fontes tão ricas e diversas, estudei e cozinhei eu própria para melhor compreender a variedade sempre surpreendente do mundo dos alimentos e das técnicas exigidas pela sua confeção. É isso que tenho feito desde a primeira hora".

Marcelo: "Figura muito simpática e popular"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a morte de Maria de Lourdes Modesto, que recordou com saudade, descrevendo-a como "grande comunicadora" e autora de referência na arte culinária.

Numa mensagem de pesar, Marcelo Rebelo de Sousa "evoca Maria de Lourdes Modesto", referindo que "se tornou numa figura muito simpática e popular" da televisão portuguesa "através do programa de culinária que apresentava e que, em vários aspetos, era inovador para a época".

"Foi também autora e tradutora de livros de referência na arte culinária, recolhendo receitas e inovando noutras", acrescenta-se na mesma nota, publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet.

O chefe de Estado "lembra com saudade esta grande comunicadora, apresentando à família sinceras condolências".

Nascida em Beja em 1930, Maria de Lourdes Modesto celebrizou a cozinha tradicional portuguesa na televisão e em livros.

Marcelo Rebelo de Sousa assinala que Maria de Lourdes Modesto foi condecorada com o grau de comendadora da Ordem do Mérito em 2004, pelo então Presidente da República, Jorge Sampaio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG