Longas filas e hotéis lotados na maior ponte do ano

Aproveitando o fim de semana prolongado, muitos portugueses rumaram ontem ao Algarve e ao Alentejo, o que complicou o trânsito nas autoestradas, com filas com mais de 20 quilómetros

Filas de 20 a 25 quilómetros em para, arranca... e algumas vezes mais parado do que a andar. A2 cheia desde manhã, rumo ao litoral alentejano e ao Algarve. Um patrocínio da maior ponte do ano: quatro dias para quem vive em cidades que celebram o Santo António e três para o restante do país. Com um extra, não foi preciso gastar nenhum dia de férias para ter um fim de semana a duplicar.

O facto de os lisboetas gozarem quatro dias de descanso tem impacto no resto do país, pois há muitos que optam por fugir da confusão da capital para se refugiarem noutras zonas do país. "No Algarve, as taxas de ocupação andam perto dos 100%, como era expectável para este fim de semana prolongado. Ao aumento da procura externa, que se situa em cerca de 12%, alia-se um aumento por parte do mercado interno", disse Elidérico Viegas, presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve.

A fuga ao trabalho e rumo ao descanso começou logo na manhã de ontem. Até meio da tarde os efeitos ainda se notavam, mas já a melhorar. "Na A2 o trânsito esteve sempre compacto, com paragens entre Palmela e Alcácer do Sal. Registaram-se filas com 20 a 25 quilómetros, por vezes de 30, sobretudo na saída de Lisboa. Ao meio-dia, condicionámos a velocidade na Ponte Vasco da Gama para 90km/h, por haver muito trânsito. A tendência é melhorar", explicou ao DN o tenente-coronel Serra da Cruz, da GNR. Um acidente a meio da manhã, que provocou um ferido grave e outro ligeiro, complicou mais o cenário.

Mariana Alves fintou as filas de carros e foi para o Algarve com uma amiga de comboio. Juntaram-se a outra amiga que é de Albufeira e é na casa dela que vão ficar até segunda-feira. "Quisemos aproveitar o fim de semana alargado. Comprámos o bilhete na segunda-feira passada e já só existiam cinco ou seis", contou ao DN. A escolha explica-se em três pontos: sem filas, mais barato e os pais da amiga, que as foram buscar de carro à estação.

Como a casa fica à beira da praia, em Albufeira, carro é coisa que não precisam nestes dias. Os planos... "muita praia, sair a um bar e discoteca, talvez em Vilamoura. É o pack completo", disse. Amanhã é para descansar e na segunda é a preparação do regresso ao trabalho. "Queríamos descansar e neste fim de semana veio mesmo a calhar", acrescenta Mariana, 27 anos, técnica de controlo de qualidade na PT.

São quatro dias de descanso para os lisboetas e não só. O feriado de Santo António garante também um dia extra para quem vive em Amares, Alvaiázere, Aljustrel, Cascais, Estarreja, Ferreira do Zêzere, Proença-a-Nova, Reguengos de Monsaraz, Vale de Cambra, Vila Nova da Barquinha, Vila Nova de Famalicão, Vila Real, Vila Verde, Águeda e Vagos.

E olhando para o calendário, para trás e para frente, como este não se encontra mais nenhum. Já de três dias (sexta ou segunda a juntar-se ao fim de semana), em 2014 e 2015, todos somados foram nove os fins de semana prolongados. Este ano ainda é possível ter mais dois (24 de junho, apenas para quem celebra o São João). Para o ano serão cinco, três deles em dezembro, e em 2018 contam-se quatro, os mesmos do que em 2019.

Quem rumou ontem a norte também encontrou longas filas de trânsito na A1 entre Leiria e Fátima, por causa da peregrinação das crianças, que se celebrou no Santuário de Fátima. No Porto, que neste fim de semana acolhe o NOS Primavera Sound, há muitos hotéis completamente lotados, como o Vila Galé Porto e Douro ou o Bessa Hotel, que estão a 100%. Luís Veiga, da Associação Hoteleira de Portugal, disse ao DN que na zona da Guarda, Covilhã e Vinhais as taxas de ocupação rondam os 90% neste fim de semana.

A Brigada de Trânsito "reforçou a presença em todos as estradas e autoestradas onde se espera maior tráfego", adiantou o capitão Ricardo Silva, da GNR, acrescentando que o reforço será feito até segunda-feira. "Existirão dois picos no regresso: no domingo e na segunda à noite. Os conselhos que deixamos é que tenham cuidado com a fadiga, velocidade, álcool e o uso do cinto de segurança", aconselhou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG