Operação Porta 18: "Zé do Benfica" revela esquema de tráfico

José Carriço contava receber cerca de 10 mil euros por cada mala de cocaína recebida no aeroporto Sá Carneiro

José Carriço, 55 anos, ex-motorista do presidente do Benfica e ex-diretor do departamento de apoio aos jogadores do clube da Luz, explicou esta segunda-feira, dia 27 de junho, no Tribunal de Santarém, o esquema de tráfico de estupefacientes em que estava envolvido.

O homem também conhecido por "Zé do Benfica" revelou num depoimento detalhado o modo como a troco de cinco mil euros, pagos previamente, alguém com acesso às bagagens e capacidade de as retirar sem controlo alfandegário, fazia sair do Aeroporto Sá Carneiro, no Porto, malas carregadas com cocaína, proveniente da América do Sul.

Carriço e dois outros arguidos (o quarto envolvido no esquema entretanto faleceu) respondem agora pelo crime de tráfico de estupefacientes na forma agravada. O ex-motorista do presidente do Benfica já confirmou o teor de grande parte da acusação e justificou a sua participação no crime com as suas dificuldades financeiras.

"Zé do Benfica" contava receber por cada mala com vários quilos de droga - recolhida no Aeroporto do Porto e geralmente proveniente do Brasil - cerca de 20 mil euros que dividia com José Seco, de 59 anos, reporta o JN.

Segundo fez saber o homem de 55 anos ao coletivo de juízes, no início do julgamento, apenas uma mala com cerca de 9,5 quilos de cocaína terá efetivamente passado, a mesma com a qual foi apanhado pela Polícia Judiciária em julho do ano passado, quando regressava de Valença. Carriço explicou que o comprador recusou a droga, argumentando fraca qualidade, e devolveu-a, daí ter sido encontrada na sua posse quando foi intercetado na zona de Santarém ao volante de um Audi A4, propriedade do Benfica.

As tentativas anteriores de tráfico falharam do mesmo modo, de acordo com "Zé do Benfica".

Duas malas, uma com 8,9 quilos e outra com 27 quilos de cocaína, foram apreendidas no aeroporto de Guarulhos, no Brasil. Em 2014, a mala enviada de São Paulo terá chegado por engano ao Aeroporto Humberto Delgado, onde foi confiscada pela PJ.

Em novembro desse ano, as atividades do grupo começaram a ser investigadas pela PJ. A operação recebeu, nessa ocasião, o nome "Porta 18", por ser nessa porta do Estádio da Luz que alguns dos suspeitos se encontraram com José Carriço.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.