O mundo despede-se de Stephen Hawking: "Que continue a voar"

As reações à morte do físico Stephen Hawking multiplicam-se. Cientistas, astronautas, políticos e celebridades dizem adeus ao homem que investigou a Teoria do Tudo e escreveu "Breve História do Tempo"

A morte do físico britânico Stephen Hawking foi conhecida na madrugada desta quarta-feira. Tinha 76 anos e vivia desde os 21 anos com esclerose lateral amiotrófica. As reações ao seu desaparecimento, confirmado pelos três filhos, sucedem-se.

Os cientistas

"Olhem para as estrelas e não para os vossos pés", uma frase do cientista, é lembrada no site da Universidade de Cambridge, aquela onde chegou em 1962 e onde foi professor de Matemática. "O professor Hawking foi um indivíduo único que será lembrado com carinho e afeição não apenas em Cambridge, mas por todo o mundo. O seu excecional contributo para o conhecimento científico e a popularização da ciência e da matemática são um legado indelével. O seu caráter foi uma inspiração para milhões", disse o professor Stephen Toope, vice-chanceler da Universidade de Cambridge.

"Stephen não foi apenas um dos maiores cientistas da nossa era; era também um grande amigo e uma inspiração para mim, tanto pessoal como cientificamente", disse Kip S. Thorne, professor emérito de Física Teórica da Caltech, num comunicado da universidade onde Hawking deu vários seminários e fez investigação entre 1974 e 1975.

Em Portugal, o cientista Carlos Folhais lembrou um cientista que "ousou enfrentar grandes mistérios e que deixa pistas para o futuro". "É uma figura de referência para todos nós. É um exemplo de alguém que consegue exercer a capacidade do seu cérebro apesar de todas as limitações do seu corpo (...) É alguém que ousou enfrentar grandes mistérios, como o início do Mundo, o 'Big Bang' e os buracos negros", destacou à Lusa Carlos Fiolhais.

Tim Peake, astronauta britânico da Agência Espacial Europeia, escreveu no Twitter que Hawking "inspirou gerações a olhar para lá do planeta azul e expandir o nosso conhecimento do universo. A sua personalidade e génio vão deixar saudades".

Às 5.00, hora portuguesa, a NASA somou-se aos que lamentam a perda de Stephen Hawking, via Twitter. "Que continue a voar como o super-homem na microgravidade, como disse aos astronautas na Space Station em 2014"

Os políticos

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, lamentou a morte de Stephen Hawking, considerando que o físico britânico deixa um legado de persistência de vida e sobretudo um maior conhecimento do universo.

À Lusa, Manuel Heitor salientou que Stephen Hawking deu ao mundo um maior conhecimento do universo, mas também mostrou a cientistas e não cientistas a sua persistência de viver e de estar sempre a questionar.

"Ele questionou-se inclusive a ele próprio. Por exemplo: quando há uns anos, em 2010, veio repor toda a sua teoria sobre o universo e os buracos negros mostrou que faz parte de fazer ciência estar sempre a questionar e a fazer novas perguntas. Hoje estar no mundo é saber fazer as perguntas mais difíceis mesmo que não tenhamos respostas imediatas para elas e por isso é um exemplo para todos, certamente para os mais jovens e é uma lição de vida que vale a pena viver e vale a pena ter boas ideias", destacou.


"O professor Stephen Hawking foi uma mente brilhante e extraordinária, um dos maiores cientistas da sua geração", escreveu Theresa May, chefe do governo britânico na rede social Twitter.

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, citou Hawking: "Importa se não desistires".

Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia, lembrou o "trabalho pioneiro" que fez do "mundo um lugar melhor".

Os que partilharam com ele o ecrã de televisão e do cinema

"Perdemos uma mente verdadeiramente bela, um incrível cientista e o homem mais divertido que algum dia tive o prazer de conhecer", disse em comunicado Eddie Redmayne, o ator que deu vida à personagem de Stephen Hawking no filme Teoria do Tudo, e por este desempenho ganhou um Óscar de Melhor Ator.

A atriz Mayim Bialik publicou no Twitter uma fotografia de Stephen Hawking com o elenco da série Teoria do Big Bang. O cientista fez várias participações contracenando com Tim Parsons, o ator que interpreta Sheldon Cooper.

Neurocientista além de atriz, Mayim Bialik disse juntar-se ao "luto global pela perda do maior físico da nossa era", "à medida que nos aproximamos do Dia do Pi (3.14)".

Larry King lembrou uma pergunta nas suas entrevistas: O que o surpreende mais no universo. Resposta: As mulheres.

Os artistas

A conta oficial dos Foo Fighters cita o físico, enquanto a cantora Katy Perry disse que Hawking deixou um grande buraco negro no nosso coração.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Calma que isto é Portugal

Deve ter sido lá pelas duas, duas e meia, eu dava voltas a um texto que não se deixava domesticar e as pálpebras queixavam-se do cansaço, do fumo das cigarrilhas e de algumas metáforas rebuscadas. Quando me preparava para a última revisão ouvi alguém que descia a rua e pareceu estacar junto à janela do escritório. Um breve silêncio e logo o som inconfundível de um líquido que jorra por ação humana e o suspiro de alívio que o costuma acompanhar.

Premium

Anselmo Crespo

Orçamento melhoral: não faz bem, mas também não faz mal

A menos de um ano das eleições, a principal prioridade política do Governo na elaboração do Orçamento do Estado do próximo ano parece ter sido não cometer erros. Esperar pelos da oposição. E, sobretudo, não irritar ninguém. As boas notícias foram quase todas libertadas nas semanas que antecederam a apresentação do documento. As más - que também as há - ou dizem pouco à esmagadora maioria da população, ou são direcionadas a nichos da sociedade que não decidem eleições.