Imunoterapia é nova esperança contra o cancro da cabeça e pescoço

Em Portugal, surgem 2500 novos casos de cancro da cabeça e pescoço por ano

Há uma nova esperança para os doentes com cancro da cabeça e pescoço. Chama-se Nivolumad e é um medicamento na área da imunoterapia, que já é usado em outros tipos de cancro. Segundo um estudo apresentado este domingo na European Society for Medical Oncology (ESMO), em Copenhaga, este tratamento apresenta ganhos na sobrevivência e qualidade de vida dos doentes, quando comparado com os tratamentos com quimioterapia.

"Depois de ter sido demonstrada a eficácia e segurança do medicamento, hoje mostrou-se que há uma melhoria muito significativa na qualidade de vida dos doentes", explicou Ana Castro, presidente do Grupo de Estudos do Cancro da Cabeça e Pescoço, que falou com o DN a partir de Copenhaga. Com esta terapêutica, verificou-se uma redução em 30% do risco de morte nos doentes e um ganho médio de sobrevida de 7,5 meses, mais cinco do que o ganho habitual com a quimioterapia, que ronda os dois. Ao fim de um ano, 36% dos doentes estão vivos, sendo que, os tratamentos standard com quimioterapia têm uma taxa média de sobrevivência a um ano de 16.6%.

Quando é usada a quimioterapia, os doentes perdem qualidade de vida, razão pela qual muitos só fazem o tratamento de primeira linha. De qualquer forma, esclarece Ana Castro, o ensaio clínico com o Nivolumad, que usa o sistema imunitário para lutar contra o cancro, foi feito para a segunda linha, estando ainda em curso os estudos para trazer o medicamento para a primeira linha de tratamento.

Os benefícios deste tratamento foram de tal forma notórios que o estudo foi interrompido antecipadamente, para que os doentes que estavam a participar no ensaio a fazer tratamento com quimioterapia pudessem ser tratados com este fármaco. "Viram-se benefícios muito importantes. Não era legítimo deixar os doentes a fazer quimioterapia", explicou ao DN Ana Castro. Nesse grupo, que fez imunoterapia e quimioterapia, houve um ganho médio de sobrevida de 5,1 meses.

Segundo a presidente do Grupo de Estudos do Cancro da Cabeça e Pescoço, o Nivolumad já é usado no "melanoma, cancro do pulmão e carcinona do rim". Resta agora que a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) aprove o seu uso para o cancro da cabeça e pescoço. Como "não há nada na área", Ana Castro acredita que a nova indicação para o fármaco possa ser aprovada até ao final do ano.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...