Descobertos 23 novos sítios arqueológicos nas Caldas da Rainha

Dados preliminares da Carta Arqueológica do concelho apresentados hoje. Há uma nova ponte romana, e muito mais

Havia por ali uma ponte antiga - era o que os mais velhos da terra diziam. Então o arqueólogo Ricardo Lopes, do Instituto Politécnico de Tomar, foi lá ver. E encontrou uma estrutura quase totalmente submersa pela vegetação, que afinal é uma ponte romana, cuja memória se havia extraviado. A ponte de Feteira é um dos 23 novos sítios arqueológicos descobertos no município das Caldas da Rainha no âmbito dos trabalhos de prospeção para a Carta Arqueológica do concelho, cujos primeiros resultados são hoje apresentados.

O projeto, que se iniciou em fevereiro de 2017, ainda vai durar mais três anos, e além da identificação de todo o património arqueológico terrestre vai fazer também um levantamento do património subaquático, o inventário dos moinhos e da tradição oral na região. No final, a equipa de investigação do Laboratório de Arqueologia e Conservação do Património Arqueológico Subaquático do Instituto Politécnico de Tomar, que está a desenvolver o trabalho, quer chegar a "uma visão global do património arqueológico do concelho", explica Ricardo Lopes, um dos investigadores da equipa, que é coordenada por Alexandra Figueiredo.

(Clique AQUI para abrir a foto em página inteira)

Com isso, e com o estudo de todo esse espólio, os investigadores pretendem também ganhar um "conhecimento novo e mais profundo sobre o povoamento da região ao longo dos tempos, desde a pré-história até à atualidade", sublinha Ricardo Lopes, notando que esta carta arqueológica "é importante também para o município poder fazer o planeamento do seu território de maneira mais informada" - o projeto, no valor de cem mil euros, é integralmente financiado pelo município.

O balanço deste primeiro ano de trabalho "é muito positivo", garante Ricardo Lopes. Além da confirmação dos 30 sítios arqueológicos que já anteriormente estavam referenciados no concelho - em alguns casos encontraram-se novos vestígios nesses locais -, o projeto já se saldou pela descoberta de 23 novos sítios, e de pelo menos mais dezena e meia que a equipa ainda está a avaliar, para confirmar (ou não) o seu interesse e valor arqueológicos.

"Descobrimos novos locais com vestígios que são muito interessantes e de épocas muito diversas, desde a pré-história à época romana", explica o arqueólogo.

Um desses sítios é o da ponte de Feteira que, juntamente com uma outra da mesma época, noutro ponto do concelho, também identificada durante esta fase do trabalho, constitui "a primeira prova concreta da existência de vias romanas nesta região", garante Ricardo Lopes.

Em relação à época pré-histórica, "há uma série de novos locais identificados, incluindo uma anta, nomeadamente em zonas junto à costa, como na Foz do Arelho ou em Salir do Porto (ver infografia), que mostram que o povoamento desta região se iniciou há cerca de cinco, ou seis mil anos". Estas e outras novidades são apresentadas hoje, pelas 18.00, no edifício do Turismo, nas Caldas da Rainha.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...