CECOA conversa no Media Lab DN com jovens sobre as motivações de emprego e a Europa

O Media Lab DN, em parceria com a Representação da Comissão Europeia em Portugal - Espaço Público Europeu, recebeu os alunos da Escola Profissional Magestil, para participarem no workshop temático "Falando da Europa". Para abordar o tema deste ano "Portugueses pela UE: oportunidades", Vanda Vieira do CECOA - Centro de Formação Profissional para o Comércio e Afins - foi a oradora convidada da 3º sessão para dar a conhecer aos alunos os vários projetos de atuação do centro.

O tema desta sessão foi "Estimular o capital social e a motivação para aprender". Assim, Vanda Vieira apresentou o projeto "Neets at Risk", onde explicou qual a importância de uma atuação junto dos jovens "Nem-Nem" para prevenir o abandono escolar precoce e, consequentemente, para prevenir situações futuras de desemprego.

Carmo Torres reforçou a importância da realização de atividades além escola, como é o caso do programa ERASMUS+ e do programa de voluntariado "Corpo Europeu de Solidariedade", como formas empreendedoras de os jovens estudantes se inserirem no mercado de trabalho.

No final da exposição oral, os alunos foram os repórteres do dia, tendo como tema principal a Europa. Em diferentes suportes (papel, vídeo e rádio), tiveram oportunidade de pesquisar e escrever notícias para depois criarem um noticiário. De seguida, visitaram a redação do Diário de Notícias.

O centro educativo Media Lab tem como principal objetivo promover a literacia mediática e formar cidadãos ativos. Visite o projeto em www.medialab.dn.pt.

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.