Helena Fazenda: "Existem 16 mulheres e 27 menores com ligações a jihadistas portugueses"

Secretária-geral do Sistema de Segurança Interna (SSI) foi ouvida no parlamento na Comissão de Assuntos Constitucionais, sobre o plano de ação para prevenção da radicalização, extremismos violentos e do recrutamento para o terrorismo.

"Existem 16 mulheres de de jihadistas portugueses e 27 menores com ligações a jihadistas portugueses, que se encontram em campos de detenção na Síria". A revelação foi feita por Helena Fazenda, secretária-geral do Sistema de Segurança Interna (SSI), no Parlamento, segundo o Expresso.

Ouvida esta quarta-feira de manhã na Comissão de Assuntos Constitucionais, sobre o plano de ação para prevenção da radicalização, extremismos violentos e do recrutamento para o terrorismo, a procuradora-geral adjunta revelou que há o registo de catorze jihadistas portugueses que combateram pelas forças do autodenominado Estado Islâmico (Daesh). E que desses, onze morreram em combate e um encontra-se detido no Iraque. Segundo o Expresso trata-se de Nero Saraiva, considerado o jihadista português mais perigoso.

Segundo Helena Fazenda, Há ainda mais dois portugueses que estão vivos e que estarão a ser acompanhados de perto pelas autoridades e que foram detetados dois casos de jihadistas que atuaram em território português, com vista ao recrutamento de cidadãos para se juntarem ao Daesh.

Em fevereiro, o "Diário de Notícias" dava conta que pouco se sabia sobre a evolução do plano de prevenção do terrorismo ao fim de quatro anos de existência. Na audição à porta fechada a pedido da própria por se tratar de matéria sensível e confidencial Helena Fazenda explicou aos deputados que os fenómenos de radicalização têm estado a ser acompanhados por diversas autoridades, entre elas a PSP, o SIS e a Polícia Judiciária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG