Taxa de vacinação da 1.ª dose deve atingir os 85% na próxima semana

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo recebeu a Medalha de Excelência e Dedicação do Município da Guarda, "pelo serviço exemplar que tem prestado à nação". O coordenador task force admitiu que o seu serviço está no fim e que será o SNS a coordenar a vacinação das pessoas que precisem de terceira dose.

O coordenador do plano de vacinação contra a covid-19 admitiu esta quarta-feira que na próxima semana a taxa de vacinação com primeiras doses deverá atingir os "85 ou 86%", situando-se ainda nos 81,6%.

"Para a próxima semana, atingiremos, com a ajuda dos portugueses, dos últimos portugueses que têm que vir à vacinação, 85 ou 86% [da taxa de vacinação]. E o processo em termos de primeiras doses está completo. Depois é o processo de segundas doses", afirmou o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, na Guarda.

Gouveia e Melo visitou esta quarta-feira o Centro de Vacinação da Guarda, instalado na Pavilhão Municipal de São Miguel, a convite do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde, e recebeu a Medalha de Excelência e Dedicação do Município "pelo serviço exemplar que tem prestado à Nação".

"Nós somos um povo extraordinário, um povo esclarecido, que tem um saber e uma cultura muito enraizada e estou convencido que vamos encurralar o vírus da única forma que há, que é tirar-lhe toda a capacidade de manobra, tirar-lhe 'toda a água para ele nadar', como eu digo muito nas minhas analogias marítimas, e secar esse vírus. Hoje, estive a ver as estatísticas, estamos a 81,6% de vacinação", afirmou.

Questionado sobre a vacinação, futuramente, nos centros de saúde, adiantou que a comissão técnica de vacinação elencou um conjunto de pessoas que face às suas características de fragilidade relativamente ao seu sistema imunitário deve ter uma dose adicional.

O processo está a decorrer, informou, lembrando que fez uma estimativa "de cerca de 100 mil pessoas" nessa situação. "Não é necessário fazer uma task Force para vacinar 100 mil pessoas", admitiu, apontando que o Serviço Nacional de Saúde "vacinava, normalmente, entre dois a três milhões de pessoas no inverno" "O sistema de Saúde tem capacidades e os portugueses têm de acreditar no sistema de Saúde", vincou.

Sobre a vacinação de jovens com mais de 12 anos, o coordenador nacional do Plano de Vacinação contra a covid-19 disse que tem "uma expectativa elevada". "Nós temos cerca de 180 mil jovens ainda por vacinar, nessa faixa etária", lembrou, revelando que enquanto coordenador do plano, se preocupou em "garantir flexibilidade" aos jovens, que têm um "fim de semana exclusivo" e depois "casa aberta", de forma a facilitar o início das aulas.

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo recebeu a Medalha de Excelência e Dedicação do Município da Guarda, "pelo serviço exemplar que tem prestado à nação".

A distinção foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, no decorrer de uma visita ao centro de vacinação local, instalado na Pavilhão Municipal de São Miguel, realizada a convite do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde.

Segundo a autarquia da Guarda, a atribuição da Medalha de Excelência e Dedicação do Município a Henrique Gouveia e Melo "tem por objetivo distinguir o coordenador do plano de vacinação contra a covid-19, pelo serviço exemplar que tem prestado à nação, conjuntamente com médicos, enfermeiros, auxiliares e administrativos".

"O vice-almirante Gouveia e Melo tem sido incansável, na dinâmica avassaladora no combate à pandemia, demonstrando também uma irrepreensível resiliência no combate contra a covid-19 bem como na prossecução da imunidade da população portuguesa", acrescenta.

O coordenador nacional da 'task force' do plano de vacinação contra a covid-19, disse que recebia a medalha "em nome de todos [os] que pertenceram" à "enorme equipa" responsável pelo processo de vacinação, um total de "4700 pessoas" que trabalham "dia após dia, sem intervalos, sem fins de semana, sem férias".

E acrescentou: "Tenho uma dívida de gratidão e acho que todos os portugueses têm uma dívida de gratidão ao poder local. (...) [Em] todos os sítios por onde passei, esse poder local foi essencial na ajuda ao SNS, foi essencial para ajudar o Ministério da Saúde a cumprir esta missão".

"Nós já vacinámos mais de 80% da nossa população, quando outros países mais ricos, com mais capacidades não o conseguiram fazer"

Gouveia e Melo também realçou o papel "extraordinário" desempenhado pelo Ministério da Saúde e por "todos os portugueses que, de uma forma ordeira, se apresentaram ao processo de vacinação".

"Nós já vacinámos mais de 80% da nossa população[72% dos quais já tem a vacinação completa], quando outros países mais ricos, com mais capacidades não o conseguiram fazer", apontou.

Na ocasião, o presidente da Câmara da Guarda disse que é com homens como o coordenador nacional da 'task force' do plano de vacinação contra a covid-19 e com toda a equipa que o acompanha, que o país pode "ombrear com o melhor que se faz por todo o mundo" e "validar e afirmar" a portugalidade e a capacidade de "fazer obras valorosas".

Segundo o autarca, a entrega da Medalha da cidade mais alta do país "faz justiça àquilo que foi a excelência, a dedicação, que o senhor vice-almirante teve nesta causa e que, de facto, a vida foi o objetivo fundamental".

"E, com certeza, que com a sua ação e a sua capacidade de organização, foi a vida de muitos portugueses que foi salva. Por isso, a Guarda não poderia ser indiferente. A Guarda tem que ser parte daqueles que querem construir um Portugal melhor e, principalmente, num momento difícil como este", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG