"Flores? Cravos vermelhos e Flor de Lis, símbolo de Florença, um lugar onde fui feliz…"

O famoso questionário de Proust respondido pela diretora do Instituto da Defesa Nacional, Helena Carreiras.

A sua virtude preferida?
Coragem.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Inteligência.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
Inteligência.

O que aprecia mais nos seus amigos?
Os afetos e as histórias que partilhamos.

O seu principal defeito?
O meu marido diz que sou uma yiddishe mame.

A sua ocupação preferida?
Caminhar nas montanhas.

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
Não existe. Sou imperfeitamente feliz.

Um desgosto?
O resultado do referendo à despenalização da IVG em 1998.

O que é que gostaria de ser?
O que sou.

Em que país gostaria de viver?
Aquele em que vivo.

A cor preferida?
Branco e negro; a mistura de todas e a sua ausência.

A flor de que gosta?
Cravos vermelhos e Flor de Lis, símbolo de Florença, um lugar onde fui feliz...

O pássaro que prefere?
Gosto de Bird on the wire (Leonard Cohen) ou do Condor, por me recordar a Argentina, o meu outro lugar no mundo.

O autor preferido em prosa?
Jorge Luis Borges, e não por ser Argentino...

Poetas preferidos?
Pessoa, Sophia.

O seu herói da ficção?
Podia ser Aureliano Buendia, personagem do primeiro livro a desassossegar-me imensamente: Cem Anos de Solidão de Gabriel Garcia Marquez.

Heroínas favoritas na ficção?
Mafalda (outra Argentina, oops...)

Os heróis da vida real?
Nelson Mandela, Martin Luther King .

As heroínas históricas?
São também da vida real: Marie Curie, Emmeline Pankhurst, Rosa Parks.

Os pintores preferidos?
Van Gogh, Vieira da Silva.

Compositores preferidos?
Jobim, Piazzola, Keith Jarret.

Os seus nomes preferidos?
Pedro e Carolina, o nome dos meus filhos.

O que detesta acima de tudo?
Injustiça, cobardia.

A personagem histórica que mais despreza?
Sobre os que não gosto não usaria este adjetivo.

O feito militar que mais admira?
O 25 de Abril; a resistência de Massada.

O dom da natureza que gostaria de ter?
Voar.

Como gostaria de morrer?
No sono, em paz, com a consciência de ter ajudado a tornar o mundo um lugar mais decente.

Estado de espírito atual?
Em paz.

Os erros que lhe inspiram maior indulgência?
Aqueles com que aprendemos.

A sua divisa?
"Everybody you meet is fighting a battle you know nothing about. Be kind. Always."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG