Dois jovens morrem em deslizamento de terra em Palmeira de Faro, Esposende

Corpos das duas vítimas mortais já foram retirados dos escombros

Duas pessoas morreram esta madrugada em Palmeira de Faro, concelho de Esposende, vítimas de um deslizamento de terra, disse à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários de Esposende.

"Um deslizamento de uma vertente atingiu uma habitação familiar e fez duas vítimas mortais de 22 anos", informou o adjunto do Comando dos Bombeiros Voluntários de Esposende, distrito de Braga.

Os corpos dos dois jovens foram resgatados dos escombros pelas 14:50, disse fonte da Proteção Civil. Em declarações à Lusa, o 2.º comandante distrital de Operações e Socorro de Braga, Rui Costa, adiantou que a remoção dos cadáveres está agora apenas dependente da autorização do delegado de Saúde e da Polícia Judiciária (PJ). Os corpos serão levados para o Instituto de Medicina Legal de Viana do Castelo.

As restantes pessoas que se encontravam na habitação - um casal entre os 40 e os 50 anos e duas crianças, de 02 e 12 anos -, foram retiradas ilesas. O alerta para o deslizamento de terras foi dado às 03:55.

Sem precisar o número de pessoas em causa, Rui Costa referiu que os moradores das três casas contíguas foram retiradas "por uma questão de segurança" e só poderão regressar às habitações depois de concluídas as operações de remoção de terras e pedras.

O responsável já tinha afirmado esta manhã que as "casas contíguas não correm perigo" e que a apenas por precaução os moradores foram avisados de que "deveriam sair do local".

As vítimas mortais "encontravam-se no primeiro andar da habitação", segundo Rui Costa, explicando que os menores, assim como "a vítima mortal do sexo feminino" são filhos da "residente na habitação." ​​​​

O 2.º Comandante da Proteção Civil de Braga disse que os técnicos ainda estão avaliar as causas do acidente, mas confirmou que os primeiros indícios apontam para que tenha sido causado pela chuva que se fez sentir nesta região do Minho.

"[o deslizamento] Foi, possivelmente, foi causado pela chuva, mas tal carece de confirmação dos técnicos no local, que vão ter apoio de mais dois engenheiros da Universidade de Minho. Serão as autoridades a avaliar as causas", disse o responsável.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar as circunstâncias do deslizamento de terra. Fonte da PJ disse à Lusa que já foi feita uma primeira deslocação de inspetores ao local, designadamente para recolha de informação e registo fotográfico.

"Posteriormente, quando a situação no terreno estiver consolidada e tivermos luz verde da Proteção Civil, voltaremos lá para continuar a investigação", acrescentou.

Notícia atualizada às 15:30

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG